Clima seco, que chega com o inverno, e as férias requerem atenção à saúde dos pets

Médica-veterinária alerta sobre como prevenir doenças como a gripe e cuidar dos animais na estação que começou no dia 21

Foto: Divulgação

São Paulo (SP) — Mesmo com as temperaturas baixas, o Outono se despediu oficialmente no dia 21, quando começaram o inverno e as férias, em que as pessoas aproveitam para viajar. Segundo o Climatempo, a previsão é de um clima mais seco que o normal, o que ocasiona viagens para locais mais frios, uma combinação que pode afetar a saúde dos pets e favorecer o aparecimento de problemas respiratórios. Para isso, é preciso se preparar e garantir a prevenção, realizada por meio da vacinação, alerta Daniela Baccarin, médica-veterinária e gerente de soluções estratégicas e serviços médicos-veterinários da MSD Saúde Animal.

Leia também: Currículo é fundamental para encontrar trabalho no Brasil

Não são só os humanos, os cães também podem ficar gripados e com problemas respiratórios! A mudança de clima, principalmente a chegada de estações mais frias e secas, agrava esse quadro e é por isso que os cuidados de prevenção, que devem começar pela vacinação, são tão importantes”, explica Daniela.

O que é a gripe canina?

A enfermidade, conhecida também como “tosse dos canis”, é um problema causado principalmente por dois agentes, a bactéria Bordetella bronchiseptica e o vírus da Parainfluenza. Embora alguns animais apresentem manifestações mais brandas, a gripe canina não pode ser subestimada, pois pode evoluir para quadros mais graves, como uma pneumonia.

A transmissão não acontece de animais para humanos, mas entre os pets, sim. “Os cães podem se infectar quando têm contato com outro animal infectado, por exemplo. Isso ocorre por meio da secreção nasal ou contato com objetos ou locais que estão contaminados, como bebedouros, comedouros e brinquedos”, esclarece a veterinária.

Prevenção

Existem vacinas disponíveis no mercado que ajudam a proteger os cães contra esses agentes citados anteriormente, sendo importante mantê-las atualizadas. Conservar o local em que o animal vive higienizado e ventilado também é um ponto importante para evitar a transmissão.

Foto: Divulgação

Ih, gripou! Como saber?

Se o animal apresentar manifestações como espirros, secreção nasal, tosse, secreção ocular, apatia, febre e perda de peso, pode ser que ele esteja com a gripe canina. Esses são os principais pontos de atenção. No entanto, caso o tutor note qualquer alteração na saúde do pet, é muito importante levá-lo ao médico-veterinário, pois somente ele poderá chegar ao diagnóstico.

Leia também: Periféricos de um computador: mouse, teclado e muito mais!

Além disso, recentemente, os tutores de cães ganharam um aliado muito bacana para identificar alterações na rotina do pet, o Animo, um monitor de comportamento e atividades que deve ser acoplado na coleira, com o intuito de fornecer informações personalizadas. “O produto pode ser um parceiro importante para entender se o animal está com alguma enfermidade e, assim, já acionar o médico-veterinário, que vai analisar o caso e recomendar o melhor tratamento. Essencial sinalizar que ele não substitui a vacina, mas chega para completar os cuidados”, explica a profissional.

As férias de julho!

A carteira de vacinação do pet, assim como as dicas citadas acima, também é válida para as férias, hein. Inclusive, o ciclo completo da vacina, assim como em humanos, é obrigatório em alguns locais e até para embarcar em aviões.

E, bom, vale lembrar de manter sempre em dia a proteção contra pulgas e carrapatos e dos cuidados básicos, como evitar brincadeiras e alimentos gelados, passeios só em períodos mais quentes, banhos só quando necessário e é importante aquecê-los com roupinhas e mantinhas na sua cama. A estação promete ser fria, mas o coração fica quentinho quando se tem carinho e amor.

Leia também: Mensagem de cobrança para clientes: qual a melhor opção?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo