Tiroteio em escola deixa 21 mortos e 34 feridos no Texas, nos EUA

Fotos: WhatsApp/Divulgação

Um jovem armado invadiu no início da tarde desta terça-feira (24) uma escola na cidade de Uvalde, no Estado do Texas, nos Estados Unidos (EUA), causando a morte de pelo menos 21 pessoas e deixando outras 34 feridas, das quais sete em estado grave. Entre os mortos há cerca de 14 crianças.

De acordo com informações das principais agências internacionais de notícias, o suspeito invadiu o prédio e subiu as escadas entrando nas salas onde ficam as turmas do 2º e 4º ano do ensino fundamental. O atirador foi morto pela polícia após uma intensa troca de tiros.

Equipes de emergência e da polícia foram mobilizadas e enviadas para o local, que foi isolado e cercado. Todas as ruas que dão acesso aos prédios da escola foram bloqueadas e o tráfego de veículos foi interrompido. Somente viaturas da polícia e dos bombeiros puderam se aproximar.

Policiais iniciaram o trabalho para a retirada de todas as pessoas dos prédios onde funcionam a escola. Antes de deixarem o local, todos foram devidamente identificados e liberados. Após, todas os policiais vistoriaram os prédios para tentar localizar possíveis artefatos explosivos e/ou cúmplices do atirador.

Fotos: WhatsApp/Divulgação

O suspeito foi identificado como sendo Salvador Ramos, de 18 anos. A residência dele está sendo vistoriada e familiares e amigos estão prestando depoimento.

Dois policiais que estavam nas proximidades da escola no momento do tiroteio ficaram feridos, tendo ambos sido socorridos e levados a um hospital da região. Uma professora foi assassinada pelo suspeito.

O governador do Estado do Texas, Greg Abbott, disse que o suspeito tinha um revólver e, possivelmente, um fuzil, e que antes de invadir a escola, ele assassinou a própria avó.

As autoridades policiais locais informaram que o número de vítimas fatais pode aumentar nas próximas horas, porque existem muitos feridos em estado crítico. Entre os feridos em estado grave estão uma menina de 10 anos e uma mulher de 66 anos.

A escola foi fechada e permanece interditada para a realização de perícia por parte da polícia e dos bombeiros. Não há previsão de reabertura da escola e nem para o início das aulas.

Por enquanto, a polícia local trabalha com a hipótese de incidente doméstico, mas as investigações já estão sendo realizadas. Ainda não há informações sobre a motivação do crime e nem detalhes de como o atirador agiu.

Fotos: WhatsApp/Divulgação

Este ataque reacendeu em todo o país o debate sobre a restrição para a venda de armas de fogo nos Estados Unidos (EUA) e o acesso a elas.

O senador Chris Murphy, do Estado de Connecticut, disse: “O que estamos fazendo? Tivemos mais tiroteios do que dias do ano. Nossas crianças vivem com medo toda vez que entram na sala de aula porque acham que vão ser as próximas. Por que estamos aqui se não for para resolver este problema existencial? Isso não é inevitável. Isso não acontece em nenhum outro lugar, exceto nos Estados Unidos. E é uma escolha, é nossa escolha”.

Em 2012, um tiroteio na Escola Sandy Hook, em Connecticut, causou a morte de 20 crianças e de seis adultos.

Já o presidente dos EUA, Joe Biden, que se encontrava em uma viagem pela Ásia, retornou para Washington. Ele determinou que todas as bandeiras norte-americanas fossem hasteadas a meio mastro nos prédios públicos federais, bases militares, e embaixadas e consulares.

Joe Biden conversou com o governador do Texas, Gregory Wayne “Greg” Abbott, sobre o ocorrido, se solidarizando com a população local e oferecendo assistência.

Com informações das Agências Associated Press e Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo