5 dicas para descobrir se um carro usado teve a quilometragem adulterada

Especialistas dão recomendações para ficar atento antes de fechar negócio

Hodômetro

Foto: Divulgação

O mercado de carros seminovos/usados cresceu nos últimos meses. A procura por um transporte individual mais seguro – em vez de metrô, ônibus e até mesmo os veículos de aplicativo – aumentou até mais do que no período pré-coronavírus. Mais gente querendo comprar um carro, mais gente suscetível a cair em roubada. E uma delas é a adulteração de quilometragem.

Quanto menos rodado, mais valioso é o seminovo/usado. A fraude do hodômetro não é de hoje, é feita desde os tempos de marcadores analógicos. Atualmente, com as peças digitais, nem o painel precisa ser desmontado. “Existem equipamentos que conseguem modificar os valores registrados nos módulos, alguns só desmontando, mas, em alguns casos, sem desmontar já conseguem adulterar”, conta Pedro Luiz Scopino, diretor do Sindirepa-SP, professor e especialista em manutenção automotiva. Veja algumas dicas para não ser passado para trás:

Manual
“O primeiro item a ser verificado é o manual com as revisões, caso elas não tenham sido realizadas na concessionária, solicite as notas fiscais com o histórico da realização dos serviços (troca de óleo, por exemplo)” – Reinaldo Hagge, diretor comercial da Dekra Brasil.

Histórico/Vistoria
Muitos itens são identificados em uma vistoria de procedência e possuem como base o histórico veicular online, onde é exibido todo o histórico com base em vistorias anteriores.

Ter o histórico do carro é fundamental, assim é possível comparar se as datas e as manutenções feitas batem com o estado do veículo.

Hoje, é possível obter o histórico do veículo em empresas especializadas por menos de R$ 40.

Pneus
“Realizando corretamente o rodízio, alinhamento e balanceamento, os pneus podem durar até 60.000 km, além disso é possível validar a data de fabricação, assim validando se são os mesmos pneus da aquisição do veículo quando adquirido 0km ou se já foram trocados” – Reinaldo Hagge, diretor comercial da Dekra Brasil.

Se um carro estiver com menos que essa quilometragem e os pneus forem novos, desconfie.

Desgaste
Verifique o estado de conservação do veículo, a conservação dos bancos, revestimentos e desgaste do volante, estes são indicativos para identificar se o veículo possui ou não a quilometragem apresentada.

Volante, pedais e alavanca de câmbio ficam lisos com o tempo e os bancos podem apresentar perda de densidade e costuras mais desgastadas. Porém, isso ocorre com mais frequência em carros com alta quilometragem (mais de 70.000 km)

Procure um Mecânico
O ideal é falar com seu mecânico de confiança e levar o carro para uma análise de compra, onde serão feitos alguns testes no veículo na oficina, um teste de rodagem e conferência com o equipamento de diagnóstico. Dependendo do carro, o custo varia de R$ 240 a R$ 360 reais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo