Especialista dá 5 dicas para alavancar pequenos negócios nas redes sociais

Compras online estão cada vez mais em alta entre os consumidores

Foto: Unsplash

As compras pelas redes sociais – conceito chamado de Social Commerce – experimentaram um crescimento exponencial desde 2020. No entanto, mesmo com a flexibilização que ocorre mais de dois anos depois do início da pandemia, o crescimento relacionado às divulgações de preços e ofertas por redes sociais, bem como as compras feitas diretamente pelas redes, continuam a todo vapor.

“O social commerce abre inúmeras possibilidades para a expansão de comércios locais e marcas pequenas, proporcionando maior alcance e visibilidade. A internet é um espaço cheio de possibilidades para quem trabalha nela”, explica a influencer, especialista em estratégia digital e CEO da agência AcoutPlus, Adriana Coutinho.

A Pesquisa Social Commerce 2.0 – Tendências de consumo nas redes sociais, realizada pela All In e Opinion Box, traz dados sobre esse universo. Segundo o estudo, 75% dos consumidores entrevistados usam as redes sociais para pesquisar produtos, 71% afirmaram que utilizam as redes sociais para fazer compras e 61% dos consumidores são adeptos ao Live Commerce (venda de produtos em lives) pelos descontos exclusivos. O Instagram é a rede social mais utilizada para pesquisar, comprar e avaliar produtos.

Social commerce: vantagens para pequenos empreendedores

O Social Commerce – incluindo o live commerce – é muito importante para fidelizar usuários, vender produtos e/ou serviços, promover uma marca e impulsionar suas vendas – e isso é ainda mais relevante quando falamos de pequenos negócios. O objetivo é transformar esses canais em verdadeiras vitrines”, ressalta Adriana Coutinho. “Hoje, não basta mais ter apenas uma loja física e uma loja virtual, se ambas não conversam com seu público onde ele está”.

O novo cliente digital faz questão de uma experiência mais humana e criativa. “Humanizar as experiências de consumo é se aproximar do público comprador. Isso fala diretamente com pessoas que têm vivências próximas e que se identificam com o dia a dia daquele negócio. É essa conexão que faz tudo acontecer”, ressalta a CEO do e-commerce Freshmania, especializado em leite fresco, Einat Eisler Carasso. A empresa de Einat tem um foco bastante direcionado ao social commerce, com um importante trabalho de marketing de influência. Além disso, todo o atendimento realizado na empresa é humanizado. Quando os clientes recebem os produtos em casa, a nota enviada traz o nome de quem separou e embalou os itens, tornando a experiência mais personalizada e mostrando quem é o profissional que cuidou do pedido.

Dicas para investir em social commerce

Adriana Coutinho traz alguns importantes insights para quem deseja investir em social commerce.

Interação

Para que sua estratégia de social commerce dê certo, incentive a interação e o engajamento da sua audiência nas redes sociais. “Estimule a interação através de enquetes, posts de interação e até mesmo compartilhando e comentando posts dos seus clientes que marcam sua loja. Sempre responda com uma linguagem acessível e empática”.

Reputação

Acompanhe sempre o que as pessoas estão falando sobre a sua empresa. A reputação da marca pode ser prejudicada com críticas, depoimentos negativos ou reclamações, e isso tende a piorar se sua empresa não respondê-las e não ajudar o cliente a resolver o problema. “Sempre que se deparar com uma reclamação, trate com cuidado, buscando valorizar o relacionamento com o cliente e resolver com eficiência e agilidade a situação. Lembre-se que você também é cliente de alguma empresa, e trate como gostaria de ser tratado”.

Provadores

Os provadores, que antes faziam um grande sucesso nos stories, devem migrar para o Reels. Esse novo jeito de produzir conteúdo se deve às atualizações no Instagram, que começa a dar menos valor aos stories e entrega mais engajamento aos vídeos no feed. “Os provadores dão ao cliente uma visão real de como a peça fica no corpo, combinações possíveis, onde usar, e outras informações que podem ser decisivas para uma decisão de compra”, diz Adriana.

Legenda

A legenda, a estratégia, tudo isso que engloba o digital, depende da autenticidade e da verdade que você quer passar para seu seguidor. Pode ser um textinho e a imagem mais impactante, ou pode até ser textão desde que seja desenvolvido com sabedoria e propósito“, destaca Coutinho.

Avaliação

Um comportamento muito comum entre os consumidores é a busca por reviews e depoimentos de pessoas que já adquiriram o produto e compraram na loja, para ajudar na tomada de decisão. “Pense em quantas vezes você visitou perfis de lojas no Instagram para ver os comentários nos posts, se havia muitas reclamações ou se o tom era positivo. Esse é o pensamento em relação ao seu próprio negócio. Incentive a avaliação dos clientes, tanto quanto ao produto quanto à experiência de compra oferecida por sua loja”, finaliza Adriana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo