Manutenção veicular: o que fazer para garantir uma viagem segura nas férias

Especialista aponta quais ações preventivas podem garantir um percurso tranquilo sem surpresas e gastos indesejados.

Foto: Divulgação

Quando o calendário aponta o mês de julho, o corpo já pede descanso do primeiro semestre e, para quem tem criança em casa, o período de férias escolares é a época ideal para uma boa viagem em família.

Há quem se organize com antecedência e há quem encare uma aventura de última hora para espairecer e apreciar novos ares. Em todos os casos, estar atento às condições do veículo é fundamental para garantir um percurso tranquilo sem surpresas e gastos indesejados.

Leia também: Quais são os seminovos mais procurados para compra no Brasil?

Engenheiro mecânico e professor do curso de Engenharia da Anhanguera Campo Grande, Pablo Luiz Ferreira Alves enfatiza que ainda que o veículo não apresente problemas ou necessidade de manutenção, pegar estrada sem uma vistoria prévia não é uma boa ideia. “Embora demande tempo, voltar os olhos para esse cuidado é sinônimo de evitar danos no automóvel, gastos e o mais importante: garantir a segurança de amigos e familiares que compartilham a viagem”. Na lista básica de inspeção, o especialista destaca:

  • Planejamento: além de levar, por precaução, uma caixa de ferramentas, estudar o percurso e verificar se há postos de parada e postos de combustível é prudente.
  • Documentação: portar habilitação é lei e deve ser respeitada. Portanto, deve-se conferir data de vencimento da CNH, bem como as condições de uso do seguro automotivo, caso possua.
  • Pneus: a base do veículo não pode ficar de lado pois é responsável por manter a aderência ao solo. É fundamental conferir a calibragem. Então, nada de pneu careca e estepe inutilizável.
  • Alinhamento e balanceamento: ninguém quer desconforto pelo caminho, sendo assim é preciso garantir que a direção esteja equilibrada, sem vibrações, o que também contribui para a economia do combustível.
  • Bateria e faróis: é possível utilizar um voltímetro para examinar o estado da bateria. Manter o sistema de iluminação em dia, pode salvar vidas, já que a falta de luminosidade é um dos fatores que gera acidentes nas estradas. Além, é claro, de evitar que uma multa seja aplicada por falta de funcionamento das luzes indicativas.
  • Óleo e fluídos: responsável pela lubrificação do motor, o óleo deve estar na quantidade e espessura indicada, com uma cor clara. Caso contrário, deve ser trocado. Os fluídos merecem a mesma atenção, tendo em vista que são responsáveis por manter a temperatura do motor.
  • No ramo automotivo, o engenheiro mecânico tem papel determinante pois é responsável por trabalhar viabilidade e custos envolvidos desde a fabricação até a facilidade de condução, durabilidade do automóvel, dinâmica, desempenho e ergonomia do veículo. No dia a dia, Pablo destaca a importância de realizar a avaliação com um profissional de confiança. “Não há como dispensar a vistoria atestada por um profissional de confiança que entenda do assunto. Ele certamente explicará as vantagens de se optar por uma manutenção preventiva, em vez de recorrer à manutenção corretiva”, destaca.

Feita periodicamente com o objetivo de reduzir ou impedir falhas e defeitos no carro, a manutenção corretiva deve ser intensificada no período de baixas temperaturas, já que o clima frio pode contribuir para que os automóveis apresentem problemas de funcionamento e performance dos mais variados tipos. “Bateria, cabos e velas de ignição estão ligados ao sistema de partida, responsável por ligar o automóvel e podem apresentar problemas, principalmente quando falamos em carros com mais de cinco anos de fabricação”, conclui.

Leia também: Precisa trocar o filtro do ar-condicionado do carro?

Para saber qual é o período certo para realizar a manutenção preventiva, é preciso ficar de olho nas recomendações das fabricantes expostas no manual do proprietário para garanta uma viagem tranquila e segura. A avaliação também pode contribuir para a prolongação do tempo de vida estimado do seu veículo. Assim feito, é correr para aproveitar, apertar o cinto de segurança e pé na estrada!

Leia também: 5 dicas para descobrir se um carro usado teve a quilometragem adulterada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo