Após batalha de cinco sets e 3h41min na estreia, Melo e Klaasen avançam em Wimbledon

Jogo disputado nesta quinta-feira (30) foi decidido apenas no super tie-break. O mineiro e o sul-africano derrotaram os cabeças 5, o neozelandês Venus e o alemão Puetz para chegar à segunda rodada da edição 2022 do Grand Slam

Melo e Klaasen estão na segunda rodada do Grand Slam (Divulgação)

São Paulo (SP) – Cinco sets, 3h41min de jogo, muita disputa e emoção, com direito a decisão no super tie-break. Foi assim a vitória do mineiro Marcelo Melo e do sul-africano Raven Klaasen na estreia da edição 2022 do tradicional torneio de Wimbledon. Para avançar à segunda rodada do Grand Slam, em Londres, na Inglaterra, nesta quinta-feira (30), Melo e Klaasen derrotaram o neozelandês Michael Venus e o alemão Tim Puetz, cabeças de chave número 5, por 3 sets a 2, com parciais de 4/6, 7/6 (7-2), 7/5, 1/6 e 7/6 (10-6). Os próximos adversários serão os vencedores do jogo entre os chilenos Julio Peralta e Alejandro Tabilo e os britânicos Jonny O’Mara e Ken Skupski.

Realmente, muito feliz com a vitória. Começar Wimbledon com um jogo desse, mostra que estamos bem preparados, melhor de cinco sets. Aproveitamos bem as chances, soubemos lidar com a partida, especialmente no quarto set que eles jogaram muito melhor que a gente. Conseguimos voltar e ganhar no super, que é o tie-break no 6 a 6 do quinto set. Foi muito bom. Agora é recuperar para o próximo jogo“, explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro e BMG, com apoio da Volvo, Head, Voss, Asics e Confederação Brasileira de Tênis.

O primeiro set foi vencido pelos adversários, que com uma quebra no quinto game mantiveram a vantagem para fechar em 6/4. Melo e Klaasen viraram, ganhando dois sets seguidos. O segundo decidido no tie-break, após as duas duplas terem mantido os seus serviços: 7/6 (7-2). E o terceiro após um break no 11º game, com o mineiro e o sul-africano marcando 7/5. Mas, no quarto set, Venus e Puetz buscaram a reação e deixaram tudo igual no jogo, fazendo 6/1. Melo e Klaasen não se abalaram. A partida voltou a ficar equilibrada, sem quebras, e foram para a disputa de mais um tie-break. Desta vez, o super tie-break do quinto set em Wimbledon. Assim como no anterior, o mineiro e o sul-africano dominaram e, com 10-6, comemoraram a vitória, avançando no Grand Slam.

Melo disputa Wimbledon pela 15ª vez, campeão em 2017, com o polonês Lukasz Kubot, e vice-campeão em 2013, com o croata Ivan Dodig.

Melo e Klaasen retomaram a parceria que tinham formado em 2015, disputando esta temporada na grama, e jogam juntos, agora, o primeiro Grand Slam. Já estiveram no ATP 250 de ‘s-Hertogenbosch, na Holanda, chegando à semifinal, e no ATP 250 de Maiorca, na Espanha, parando na primeira rodada. Em 2015, formaram dupla por duas semanas e conquistaram dois títulos – Masters 1000 de Xangai, na China, e ATP 500 de Tóquio, no Japão.

O mineiro ocupa a 41ª colocação no ranking mundial individual de duplas da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), com 2.100 pontos. Klaasen, 39 anos, é o atual número 51 do mundo, com 1.685 pontos.

Dezesseis vitórias em 2022 – Na temporada 2022, o mineiro Marcelo Melo soma 16 vitórias. Com o croata Ivan Dodig ganhou cinco jogos nos dois ATP 250 de Adelaide, um no Australian Open e um no Masters 1000 de Miami. Com o alemão Alexander “Sascha” Zverev, Melo tem duas vitórias no Masters 1000 de Monte Carlo. No ATP 250 de Lyon, com o argentino Maximo Gonzalez, venceu três vezes, com mais uma vitória na estreia em Roland Garros. Com Klaasen, ganhou duas partidas na Holanda, e agora na estreia em Wimbledon.

Recordista em títulos, participações em Grand Slam, ATP Finals e semanas no topo do ranking – Marcelo Melo, 38 anos, é recordista brasileiro em número de títulos, 35 conquistas, ao lado do também mineiro Bruno Soares. Dos títulos, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e nove Masters 1000, além de nove ATP 500 e 15 ATP 250. Tem o recorde, também, em semanas no topo do ranking da ATP – 56, único brasileiro na história a ser número 1 do mundo em duplas. E esteve entre os Top 10 por oito temporadas seguidas. É recordista em participações em Grand Slam, com 58 edições até o Australian Open 2022 e em presença no ATP Finals – completou oito seguidas em 2020. Em 2019 chegou a 500 vitórias, na estreia no ATP 500 de Washington, passando a ser o 35º jogador de todos os tempos a atingir essa marca.

O primeiro título de Marcelo em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam, além de um vice em Londres (2013) e um vice (2018) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Xangai 2018 chegou ao nono, depois de ganhar Xangai (2013 e 2015), Paris (2015 e 2017), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2022

Vice-campeão

ATP 250 de Adelaide 1, na Austrália

ATP 250 de Lyon, na França

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo