Prédio desaba no Sul do Irã e deixa 6 mortos e 80 feridos

Um prédio em obras desabou nesta segunda-feira (23) em Abadan, no Sul do Irã, deixando 6 mortos e 80 feridos. — Foto: WANA (West Asia News Agency) via Reuters

Um prédio de 10 andares desabou na manhã desta segunda-feira (23), na cidade de Abadan, no Sul do Irã, causando a morte de pelo menos seis pessoas e deixando outras 80 feridas. Algumas das vítimas ainda permanecem sob os escombros.

De acordo com informações das principais agências internacionais de notícias, partes do Edifício Metropol localizado em Abadan, capital da província de Khuzestan, e que ainda estava em construção, desmoronaram, atingindo os trabalhadores que estavam no solo.

Equipes de resgate foram mobilizadas e enviadas para o local, que foi totalmente isolado. A prioridade é retirar todas as vítimas que ainda estão sob os escombros. Equipes de outras cidades estão sendo enviadas para Abadan para ajudar na operação de buscas e salvamento.

A TV estatal do Irã divulgou imagens de escombros na rua ao lado do prédio parcialmente desmoronado. Pessoas podem ser vistas socorrendo os feridos.

O chefe dos Serviços de Emergência de Abadan, Nader Naghibi, disse que mais vítimas ainda podem estar sob os escombros e que o risco de novos desabamentos é alto.

Pessoas são vistas próximas aos escombros do prédio que desabou nesta segunda-feira (23) em Abadan, no Sul do Irã — Foto: WANA (West Asia News Agency) via REUTERS

A Agência de Notícias Mehr identificou o prédio como sendo um imóvel residencial-comercial localizado na Rua Amir Kabir, em Abadan, na fronteira com o Iraque.

O governador de Khuzestan, Ehsan Abbapur, determinou que as equipes de resgate esvaziem completamente todos os edifícios próximos ao prédio que desabou, devido ao risco de novos desabamentos.

As causas do desabamento ainda são oficialmente desconhecidas, mas elas já estão sendo devidamente apuradas.

As equipes de resgate estão trabalhando com a ajuda de cães, dois helicópteros e sete veículos, além de cinco ambulâncias.

O chefe do Judiciário da província de Khuzestan determinou a abertura de um inquérito para apurar o colapso do prédio. O proprietário e o empreiteiro responsável pela obra serão investigados, e ambos já foram detidos pelas autoridades policiais.

Com informações das Agências Reuters, France Presse e Mehr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo