“Com outono e tempo seco as doenças respiratórias têm ficado mais frequentes em idosos e crianças”, diz especialista

Médico explica que aumento das doenças respiratórias ocorre por conta da dificuldade das pessoas criarem uma barreira contra os agressores externos

I

Dr. Henrique Ferreira de Brito – Foto: Divulgação

ncômodo, constante, no nariz, sensação de cansaço e tosse. Esses são apenas alguns dos sintomas que muitos estão sentido ultimamente. Com a vinda do outono (de 21 de março a 21 de junho) e o progressivo aumento da estiagem, as doenças respiratórias alérgicas e infecciosas têm ficado cada vez mais frequentes em qualquer idade, mas, principalmente, em idosos e crianças.

Pneumologista da Unimed Campo Grande, Dr. Henrique Ferreira de Brito explica que “isso acontece porque existe uma dificuldade maior, com esse tempo seco, das pessoas criarem uma barreira contra os agressores externos (seja fungos, vírus, bactérias, ou qualquer tipo de poluição) e isso afeta principalmente quem tem uma imaturidade imunológica, no caso das crianças, como em quem tem um envelhecimento da imunidade, como os idosos. Por isso a necessidade de ficarmos atentos nesta época do ano, pois há o aumento de cerca de 30% a 40% dos atendimentos médicos por doenças respiratórias”.

O especialista ainda reforça para toda população ficar alerta sobre quais são os sintomas, quando é necessário buscar ajuda e quais são as principais dicas para evitar e controlar as doenças respiratórias.

Sintomas 

Os sintomas mais frequentes, de acordo com o especialista, são:

– Tosse, seca ou com secreção

– Espirros

– Coriza

– Congestão nasal

– Desconforto na garganta

– Febre

– Dor no peito

O que fazer?  

Ao apresentar algum dos sintomas listados pelo médico, é necessário atentar-se e procurar atendimento médico. “Em tempos de Covid-19, de outras gripes, como a Influenza H1N1 e H3N2, é essencial que o médico faça o diagnóstico diferencial para oferecer o melhor tratamento, fazendo com que o paciente consiga passar por esse momento com tranquilidade”.

Porém, é importante lembrar que os prontos atendimentos são voltados para atender casos de pacientes mais graves. Para consultas ou tratamentos, é preciso agendar com um médico especialista na área e, em caso de dúvidas, basta ligar no 0800 515 1510.

Doenças respiratórias – Foto: Divulgação

Dicas de cuidado do médico 

O pneumologista afirma que dois pilares são fundamentais quando o assunto é cuidado nesta época do ano, sendo:

Primeiro pilar: ambiental 

– Melhorar o ambiente que nos cerca, a qualidade do ar, seja em casa, trabalho, quarto. Isto é feito deixando o ar circular, abrindo janelas e portas.

– Aumentar a umidade do ar, colocando umidificadores nos ambientes. Antes de dormir o ideal é deixar o umidificador de duas a três antes de dormir. Uma bacia com água e toalhas umidificadas também ajudam.

– Um importante lembrete é para os dias quentes, quando utiliza-se o ar condicionado, pois ele resfria o ar secando o mesmo, então é preciso deixar o ambiente umidificado. Atentar-se ao filtro do aparelho também é imprescindível, porque, eventualmente, pode levar alguns tipos de agressores ao sistema respiratório. Para isso é necessário limpar periodicamente este filtro.

Segundo pilar: saúde do nosso organismo 

– Hidratação é a principal chave. “Temos um apelo grande para hidratar-se no verão, mas no inverso e outono também precisamos tomar muita água, justamente para nossa defesa respiratória. A mucosa respiratória, que é a linha de frente dessas doenças, precisa estar bem hidratada para exercer seu papel”, diz o médico

– Alimentação balanceada

– Sono de qualidade

“O conjunto desses cuidados aumenta nossa imunidade e também nos auxilia a passar muito bem por essas épocas de outono, inverno e tempo seco”, finaliza Dr. Henrique.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo