“A rede social aceita tudo, mas você não sabe se isso é realmente o que está vendo”, diz personal trainer

Psicólogo e personal trainer falam sobre os impactos da atividade física na autoestima e autoimagem

Quando a busca pelo corpo saudável passa dos limites? Até que ponto as redes sociais ajudam? O que é autoestima e autoimagem e como elas podem impactar minha rotina de atividades físicas?

Que estar em movimento é essencial, disso já sabemos. Que o desempenho regular de exercícios e a inclusão de hábitos saudáveis na rotina são necessários, também é de nosso conhecimento. Porém, mais do que compreender, é importante colocar em prática este plano.

Foto: Divulgação

No entanto, diante de tudo que vivemos hoje, não é tão simples assim. São muitas perguntas e estar informado, recebendo orientações de profissionais capacitados, é não só um diferencial, mas essencial para que os treinos sejam efetivos.

Para falar mais sobre este assunto, Junior Lourenço, personal trainer, e Ricardo Takaki, psicólogo, explicam a temática. Confira!

“A busca pelo corpo perfeito não pode ser uma obsessão, por isso é importante sempre buscar um profissional para orientação”, diz Junior. “As atividades físicas são essenciais para a saúde física e emocional. Saber disso é muito importante para nossa felicidade, mas há assuntos a serem conversados. Esse tema, impactos da atividade física na autoestima e autoimagem, está presente em quase todas as sessões de pessoas que me procuram para ajudar”, completa o psicólogo.

Autoimagem X autoestima  

Ricardo Takaki – Psicólogo

São dois conceitos muito importantes que caminham juntos. A autoestima tem como base a autoimagem. A autoimagem é a forma como a pessoa se percebe, como ela consegue olhar para o espelho e o que ela vê ali, a descrição que ela faz de si mesma. A autoestima tem mais a ver com a crença que ela tem sobre aquilo que ela viu no espelho, é a forma como você se percebe internamente, emocionalmente, as crenças e valores que você acredita ter. Isso tudo gera, de uma forma mais subjetiva, o nível de autoestima da pessoa.

Público nas academias 

Junior Lourenço – Personal trainer 

É interessante que o público de pessoas que buscam atividades físicas vem mudando. Há tempos era mais voltado ao músculo, à estética, ao crescer. Já hoje, quando a pessoa começa a praticar algum exercício, ela vê os benéficos que ela vai ter no seu dia a dia e isso muda totalmente a percepção dela. As pessoas entendem que têm benefícios além dos músculos.

Algo que é interessante também abordar é que com a pandemia muita coisa mudou. O público da estética ainda existe, mas com tudo o que vivemos nesses anos a busca por um público que foca na saúde aumentou.

O efeito das redes sociais 

Ricardo Takaki – Psicólogo

Quando falamos de redes sociais, da mídia, daquilo que você vê e gostaria de ser, estamos falando da falta de autoconhecimento, porque a pessoa que se compara com algo externo não tem referências internas para saber se ela está legal ou não. Aquilo que está na moda desperta em nós algo muito primitivo, que é o desejo, a necessidade de pertencimento a um grupo.

Quando pensamos em uma imagem ocorre um fenômeno que na psicologia chamamos de ‘projeção’, que é quando vejo ali características que eu gostaria de ter e não tenho ou quando estou na expectativa de que aquela imagem externa que visualizei em uma foto traga para mim uma satisfação que não tenho. Tem quem olhe para a essas imagens e não se cobre tanto para chegar àquela forma física, mas tem também os que pensam que aquilo é sua salvação.

Junior Lourenço – Personal trainer 

Já aconteceu comigo de cliente chegar, de fato, com uma foto dizendo que gostaria de ficar daquele jeito. A primeira coisa que digo é ‘a rede social aceita tudo, você não sabe se isso é realmente o que está vendo’, a segunda coisa é ‘você não pode se comparar com ninguém, a não ser que a comparação seja de você com você mesma, em sua evolução’.

Por isso sempre faço uma avaliação física, antes de qualquer coisa, para ver onde o aluno está naquele momento e, se necessário, em alguns casos digo que precisa de atendimento multidisciplinar, como por exemplo, um atendimento com psicólogo simultaneamente.

Cada um tem sua rotina, seu organismo. Isso é importante lembrar.

Imediatismo 

Ricardo Takaki – Psicólogo

A nossa autoestima não se construiu da noite para o dia, melhorar ela também não vai ser. Seja nas atividades físicas ou na psicoterapia, tudo isso tem m tempo para acontecer.

Temos muito em nós a questão do imediatismo porque pensamos muito que a vida é uma só. E realmente a vida não tem um ensaio, o próprio fazer a vida já é a cena principal.

Recado dos especialistas 

Ricardo Takaki – Psicólogo

Quando falamos de autoestima e autoimagem as pessoas tendem a se comparar, é inevitável, mas exercite, pelo menos, fazer comparações com você mesmo. Registre o seu progresso!

Junior Lourenço – Personal trainer 

A melhor solução é fazer aquilo que lhe agrada. Nem toda atividade física vai ser prazerosa para você, mas toda atividade física vai ser melhor do que ficar no sofá, por exemplo. O movimento traz vida e começar é o principal.

Para saber mais sobre o assunto acompanhe o episódio IMPACTOS DA ATIVIDADE FÍSICA NA AUTOESTIMA E AUTOIMAGEM do podcast Cuidar de Você, com Ricardo Takaki e Junior Lourenço.  Basta acessar nosso Spotify (https://bit.ly/PodcastUnimedCG) e Youtube (https://bit.ly/PodcastUnimedCGYoutube).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo