Turismo de aventura: Bonito espera os mais audaciosos

Atrações radicais são realidade no município e têm estrutura com segurança certificada.

O turista amante de adrenalina pode encontrar em Bonito (MS) diversas opções com passeios de tirar o fôlego. Os esportes de aventura têm ganhado espaço na região e na cultura nacional. O município é um dos destinos de ecoturismo mais famosos do Brasil e todas as suas atrações radicais contam com o Sistema de Gestão de Segurança (SGS) da Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta).

Mergulho no Abismo Anhumas é opção de atividade radical com segurança (Foto: Hudson Garcia/Sectur Bonito MS)

Mergulho no Abismo Anhumas é opção de atividade radical com segurança (Foto: Hudson Garcia/Sectur Bonito MS)

Bonito fica próximo da região com o maior aquário natural de água doce do Brasil, o Parque Nacional da Serra da Bodoquena. Conhecido no mundo inteiro por sediar atividades turísticas sustentáveis, recebe destaque também pelos programas aventureiros em meio às paisagens naturais.

Além dos famosos passeios de flutuação e mergulho, Bonito é destino para experiências em esportes radicais como rafting, arvorismo, rapel e tirolesa. Além desses, os turistas podem aproveitar passeios de bote, boia cross, caiaque inflável, quadriciclo e bike.

Cinco atividades chamam a atenção no destino: mergulho no Abismo Anhumas, trilha no Parque das Cachoeiras, quadriciclo pela Trilha Boiadeira, o Boca da Onça Ecotur e o Formoso Adventure, que são opções para amantes de aventuras.

Mergulho no Abismo Anhumas

A descoberta do Abismo Anhumas começa com uma história de aventura. Na década de 1970, um peão da fazenda onde a caverna está localizada encontrou, acidentalmente, uma pequena fenda que dá acesso ao local. O ambiente avistado de cima não denunciava a imensidão que abriga.

Atualmente os visitantes podem aproveitar o atrativo natural. As opções de atividades disponíveis são rapel e flutuação ou rapel e mergulho com cilindro. Essa última é liberada apenas para os fãs de adrenalina com carteirinha, literalmente. Isso porque, enquanto a flutuação é aberta para qualquer visitante, o mergulho de cilindro exige que o turista apresente certificação.

A atividade começa com um rapel de 72 metros, que sai da fenda na rocha e vai até o local de apoio dentro da caverna. Com as credenciais devidamente apresentadas, os mergulhadores podem submergir até 18 metros de profundidade, sendo que o lago tem 80 metros de abismo. No fundo, é possível ver um esqueleto de tamanduá-bandeira, há décadas no local.

Trilha no Parque das Cachoeiras

Para quem gosta de se aventurar em trilhas, o Parque das Cachoeiras oferece um percurso repleto delas. Durante o passeio, são percorridos 1.700 metros, atravessando passarelas. Imersos na mata do parque, os visitantes desfrutam de diversas paradas para banho.

Visitas à nascente do rio e às sete cachoeiras são as opções de passeio mais completas. O turista conhece as cachoeiras Mulungu, da Gruta, do Sol e do Amor. Completando o trajeto, passa ainda pelas cachoeiras do Sinhozinho, da Figueira e do Salto.

Há, ainda, uma opção de passeio mais curto, que passa por cinco cachoeiras e não inclui a visita à nascente. Essa alternativa é indicada para famílias com crianças, por exemplo.

Boca da Onça Ecotur

Outro passeio radical que, só pelo nome, mostra ao que veio é a Boca da Onça Ecotur. A proposta é uma caminhada por trilhas e cachoeiras no meio da mata preservada. Ao longo do passeio, são percorridos mais de 5 mil metros de vegetação e águas, graças ao conjunto de cachoeiras que formam o Rio Salobra.

O passeio é feito na Fazenda Boca da Onça, que recebe esse nome por conta de uma história contada pelo antigo dono do lugar. Ele afirmava ter tentado defender um veado de uma onça. A propriedade conta com um paredão de rocha, com 156 metros de altura, que forma a cachoeira que nomeia o local.

Os aventureiros começam o passeio do alto do desfiladeiro, a mais de 82 metros de altura. Nele, está localizada uma plataforma suspensa que oferece uma vista privilegiada e também é utilizada como apoio para rapel.

A rota continua com visitas a outras partes do complexo, como o Buraco do Macaco, o Poço da Lontra, a Garganta da Arara e as cachoeiras da Anta, do Jabuti e do Fantasma.

Quadriciclo pela Trilha Boiadeira

Na lista do turismo de aventura, uma opção diferente é o passeio de quadriciclo pela Trilha Boiadeira. Lá ficava localizada uma antiga estrada que dava acesso às fazendas da região.

Os motores dos veículos disponíveis têm 420 cilindradas e o passeio dura, aproximadamente, 50 minutos com 8 km de trajeto. Ao longo do percurso no meio da mata, os visitantes se deparam com terrenos íngremes, pedras e buracos.

O roteiro pode ser feito em dias de calor ou sob chuva, a qual traz emoção extra pela quantidade de lama formada. O turista pode escolher entre passear de quadriciclo individual ou em dupla, na garupa.

Formoso Adventure

Com um circuito de tirolesas e passarelas suspensas no Parque Ecológico Rio Formoso, o Formoso Adventure conta com a maior tirolesa do MS em extensão: com 520 metros ao todo. Uma caminhada pela mata ciliar do rio que nomeia o parque dá início ao passeio. Ela vai até o Mirante do Morro do Tamanduá.

Ao longo da trilha, é possível observar árvores e diferentes espécies de animais silvestres. Depois da descida, o turista pode se aventurar nas plataformas suspensas que, juntas, somam 23 obstáculos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo