Novembro Diabetes Azul alerta para prevenção e cuidados com a doença

Os casos de diabetes mellitus tipo 2 (DM 20) têm aumentado no mundo à medida que avança a urbanização. Comportamentos como o sedentarismo e hábitos alimentares menos saudáveis, aliados ao envelhecimento da população, têm contribuído para o aumento de casos e complicações da doença. O Atlas da Diabetes 2021 aponta que 74 milhões de pessoas, com idade entre 20 e 79 anos, em todo o mundo adquiriram a doença entre 2019 e 2021. Neste ritmo, serão 784 milhões de diabéticos até 2045.

Foto: Divulgação

O Atlas é divulgado a cada dois anos pela Federação Internacional de Diabetes (IDF). Segundo o documento, o avanço da doença já é maior que o crescimento populacional. Durante o mês de novembro é celebrada a campanha Novembro Diabetes Azul, uma ação mundial em prol da conscientização sobre o Diabetes e os números acendem o alerta para os cuidados com esta enfermidade. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, cerca de 23% dos pacientes diagnosticados com a doença no Brasil não realizam nenhum tratamento.

O endocrinologista e consultor médico do Grupo Sabin, Dr. Juliano Zakir explica que trata-se de uma doença crônica com, na sua grande maioria, dois tipos e que afeta a maneira como o corpo utiliza a glicose contida nos alimentos, levando a um quadro de hiperglicemia, ou excesso de açúcar.

Hábitos saudáveis podem prevenir a doença

“A diabetes tipo 1 é caracterizada por uma disfunção no sistema imunológico que ataca equivocadamente as células que produzem a insulina, hormônio metabolizador do açúcar. Como resultado, há deficiência na produção de insulina e a glicose fica no sangue, em vez de ser usada como energia. Já o tipo 2, que pode ser evitado, é responsável por quase 90% dos casos e aparece quando a insulina produzida pelo pâncreas não desempenha adequadamente sua ação e, por isso, leva ao consequentemente a situação de elevação de glicose no sangue”, afirma.

Alimentação saudável e atividade física regular podem servir como uma forma efetiva de prevenção contra a doença. Nos casos de pessoas do grupo de risco para a diabetes (pessoas com idade acima de 45 anos, ou mais jovens que tenham fatores suscetíveis à doença, como obesidade, hipertensão arterial, alteração do colesterol, ovários policísticos e histórico familiar da doença), o acompanhamento médico e a realização de exames periódicos são fundamentais.

Tratamento para evitar complicações

Segundo Dr. Juliano, o controle adequado do diabetes, seja qual tipo for, é fundamental para minimizar as complicações da doença em seus portadores. “Os indivíduos com diabetes mal controlado e não adequadamente tratados podem desenvolver mais complicações, como infartos do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais, cegueira, insuficiência renal e até amputações”, conclui.

O tratamento do diabetes envolve a mudança de comportamento alimentar, bem como a realização de exercícios físicos periodicamente para auxiliar o corpo a manter os níveis de açúcar adequados no sangue. Uma dieta balanceada, restringindo alimentos gordurosos e dando preferência ao consumo de frutas e verduras também é fundamental.

Alguns pacientes podem necessitar de medicamentos, que aumentam a produção de insulina pelo pâncreas, melhoram a sensibilidade do organismo à insulina, ou diminuem a produção de glicose pelo corpo ou sua absorção e até mesmo fazer a reposição de insulina, nos casos onde a produção deste hormônio já não é mais suficiente. A escolha do medicamento adequado é realizada com o médico e depende do quadro do paciente. Outro ponto importante para o controle da doença é realizar regularmente a aferição do nível de glicose no organismo, seja com aparelhos que utilizam uma gota de sangue na ponta do dedo, ou por monitorização contínua de glicose.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo