Dobradinha e liderança brasileira na segunda etapa da Santander Brasil Ride Bahia

Etapa de ida de Arraial d'Ajuda, em Porto Seguro, para Guaratinga teve a vitória de Lukas Kaufmann e Sherman Trezza entre os homens, assumindo a camiseta amarela da competição. No feminino, Marcella Toldi e Lutecia Azevedo venceram novamente

Tiago Ferreira lidera pelotão (Mario Jordany / Santander Brasil Ride)

São Paulo (SP) – Considerado um dia crucial da Santander Brasil Ride Bahia, por testar as pernas e o psicológico dos ciclistas com os 132 km de percurso, saindo da praia e indo para o interior, ou seja, totalizando uma altimetria acumulada de mais de 2.300 metros, a segunda etapa foi de dobradinha brasileira nesta segunda-feira (8). No masculino, Lukas Kaufmann e Sherman Trezza, da Ciclogiro Scott/Hoffmann Pedal Sport, venceram e assumiram a liderança da competição. Entre as mulheres, o segundo triunfo de Marcella Toldi e Lutecia Azevedo, da 4Fun Bike Center, que viram sua liderança aumentar de pouco mais de um para 39 minutos.

Para muitos é o dia em que a prova começa de verdade, pela grande distância percorrida. A etapa 2 largou em Arraial d’Ajuda e seguiu até o acampamento Santander Brasil Ride, em Guaratinga, após o prólogo do domingo (7) realizado em Arraial d’Ajuda. Na principal disputa, a elite masculina, houve mudança de liderança. A camiseta amarela agora é de Lukas Kaufmann e Sherman Trezza, que reverteram uma desvantagem de 36 segundos, para ficarem 46 segundos à frente de Hans Becking (HOL) e José Dias (POR), Buff Scott MTB.

“Fizemos pódio no prólogo e ficamos com a camiseta branca. Agora, temos a amarela de líder geral. É realmente muito mais do que eu esperava. Vamos curtir esse momento, mas a partir de amanhã (terça-feira) daremos nosso melhor, porque sabemos que temos mais cinco etapas pela frente”, vibrou Lukas Kaufmann. “Nesta etapa, superamos a expectativa. Objetivo era sempre estar no pelotão, gastando menos energia. Nosso sucesso foi por uma alimentação planejada, muito líquido e acho que estamos bem fisicamente, embora seja só o segundo dia”, finalizou Kaufmann.

“Objetivo desta etapa era andar no grupo o maior tempo possível, além de defender a camiseta branca. Essa era nossa realidade, porque não somos os favoritos no papel. Hans e José estão correndo o ano todo juntos, em várias ultramaratonas. Eles são entrosados, sabem correr esse tipo de prova. A vitória nessa etapa, que era propícia para eles, me deixa super feliz. Vamos desfrutar essa alegria da camiseta amarela”, comemorou Sherman.

Ciclistas passam por plantação de cacau (Ney Evangelista / Santander Brasil Ride)

Embora tivessem a camiseta amarela, Hans e José não lamentaram o resultado. Hans, inclusive, reconheceu que este não costuma ser um bom dia para ele. “A etapa 2 sempre é a mais difícil para mim. Foram mais de cinco horas de pedal. Eu realmente sofro nesta etapa. Estava quente demais. Ao meu ver, não sentimos pressão por estarmos com a camiseta de líderes. Eu demoro dois ou três dias para achar o ritmo ideal. Acredito que teremos boas provas pela frente”, comentou Hans.

“É uma etapa de transição. Muito longa e extremamente quente. Esse foi nosso maior adversário. Além do calor, uma umidade altíssima, que também complica. Tentamos sobreviver, porque temos cinco dias pela frente. Agora começou”, disse José Dias, que completou com Hans a prova em 5h08, contra 5h06min37 de Lukas e Sherman. O top 3 do dia teve novidade: a presença dos portugueses Andrews Henriques e Filipe Francisco, que haviam terminado em sexto lugar no primeiro dia. Andrews e Filipe concluíram o dia em 5h08min42.

Dupla favorita abandona – Os donos do numeral 001 da Santander Brasil Ride Bahia estão fora da disputa da 11ª edição. Tiago Ferreira (POR) e Wout Alleman (BEL), da DMT Racing Team, tiveram que abandonar, por conta de uma lesão sofrida pelo ciclista belga. Após a viagem para o Brasil, Wout não sentiu-se bem fisicamente, tendo uma distensão na coxa direita. Tiago Ferreira, que completou o percurso sozinho, lamentou o fato. “Esse tem sido o reflexo da minha temporada. Por melhor que eu esteja, há sempre qualquer coisa que não dá certo. Até já me habituei a essa situação. Dia 2 é sempre um dia que eu ganhei, desde a primeira edição, em Porto Seguro. Triste por estar fora da corrida. Era última prova do ano, expectativa era alta. Agora, vou aproveitar este ambiente e atmosfera”, disse Ferreira.

Marcella e Lutecia vibram com vitória (Wladimir Togumi / Santander Brasil Ride)

Disputa da elite feminina – Entre as mulheres, outra vitória de Marcella Toldi e Lutecia Azevedo. Desta vez, elas terminaram 38 minutos à frente de suas principais concorrentes, Naima Diesner e Anna Jördens, que tiveram que enfrentar problemas mecânicos logo nos primeiros quilômetros do dia. “Foi extremamente árduo. A Marcella cuidou de mim, eu cuidei dela. Todos me disseram que era um dia que variava muito. Uma hora um fica mal, outra hora o outro. E foi isso que aconteceu. A experiência da Má me salvou. Nos recuperamos bem, chegamos inteiras”, avaliou Lutercia.

“Etapa clássica de Santander Brasil Ride. Uma hora você se sente ótima, na outra péssima. O Rafael Campos disse isso no briefing e foi o que aconteceu. Prestar atenção o tempo inteiro foi crucial. Começamos de forma agressiva, com um pelotão forte, mas depois economizamos e pensamos em administrar. O fim, foi de se resguardar, porque ainda tem mais cinco dias. Me sinto ótima após o término. Quero muito esse título”, comentou Marcella.

Uma escova de dente salva as alemãs – Superando as adversidades de forma inovadora, a dupla das alemãs Naima e Anna, da da 9th Wave Cycling Doctore Bike, usou uma escova de dente para um reparo, impedindo que tivesse de abandonar a prova. No início do percurso, Naima percebeu que o quadro de sua bike havia rompido. Assim, perdeu um bom tempo para fazer o conserto. Ao vasculhar sua mochila d’água, a ciclista encontrou uma escova de dente, que esqueceu de colocar na mochila de viagem, que foi despachada logo cedo para Guaratinga pela organização do evento.

Vista aérea do acampamento (Mario Jordany / Santander Brasil Ride)

“É difícil explicar o que aconteceu. Logo no início, reparei que havia algo errado, embora não tenha ocorrido nenhum acidente. Quando paramos, vimos o tamanho do estrago com o quadro rompido. Pensei, então, que não poderíamos ficar de fora logo no começo da etapa, por algo assim. Neste momento, achei a minha escova e a Anna pareceu uma mágica, consertando a bike. Ela foi bem demais com ideia dela, enquanto eu estava quase enlouquecendo naquele momento. Usou a escova de apoio e com uma fita prendeu o quadro. A roda ficou torta, então procuramos pedalar da forma mais cautelosa, para conseguir chegar até o final dos 132 km”, contou Naima.

Programação ao vivo – Diariamente, o programa Brasil Ride Stage News irá contar tudo que acontece na competição, dia após dia. Serão oito os programas, de sábado (6) a sábado (13). Confira a grade diária do programa, que será transmitido no YouTube da prova e no Facebook:
Segunda – 08/11 – 20h

Terça – 09/11 – 19h

Quarta – 10/11 – 19h

Quinta – 11/11 – 20h

Sexta – 12/11 – 19h

Sábado – 13/11 – 21h

Top 5 da etapa 2

Elite masculina:

1 – Sherman Trezza e Lukas Kaufmann – 5h06min37

2 – Hans Becking (HOL) e José Dias (POR) – 5h08min00

3 – Andrews Henriques (POR) e Filipe Francisco (POR) – 5h08min42

4 – Gustavo Xavier e Alex Malacarne – 5h14min54

5 – Edson Rezende e Ulan Galinski – 5h16min10

Elite feminina: 

1 – Marcella Toldi e Lutecia Azevedo – 6h33min21

2 – Naima Diesner (ALE) e Anna Jördens (ALE) – 7h11min47

3 – Cristiane Silva e Viviane Santos – 8h12min09

4 – Alice Olmeto e Lucineia Brunetta – 8h25min27

5 – Daniela Hackenhaar e Jackeline Almeida – 9h07min11

Top 5 acumulado após duas etapas

Elite masculina:

1 – Sherman Trezza e Lukas Kaufmann – 5h54min52

2 – Hans Becking (HOL) e José Dias (POR) – 5h55min38

3 – Andrew Henriques (POR) e Filipe Francisco (POR) – 5h58min43

4 – Edson Rezende e Ulan Galinski – 6h04min57

5 – Mario Veríssimo e Kennedi Lago – 6h12min28

Elite feminina:

1 – Marcella Toldi e Lutecia Azevedo – 7h37min09

2 – Naima Diesner (ALE) e Anna Jördens (ALE) – 8h16min09

3 – Cristiane Silva e Viviane Santos – 9h36min29

4 – Alice Olmeto e Lucineia Brunetta – 9h36min45

5 – Daniela Hackenhaar e Jackeline Almeida – 10h35min44

O Ministério da Cidadania e a Secretaria Especial do Esporte apresentam a Santander Brasil Ride Bahia, através da Lei de Incentivo ao Esporte. O evento, que em 2021 chega a 11ª edição, tem os patrocínios do Governo da Bahia, por meio da SETRE (Secretaria do Trabalho, Renda, Emprego e Esporte), Santander, Specialized, Jeep, Shimano e Unidas. Conta com os apoios de Continental, Full Gas, HB, Garmin, RedBull, Spot, Squirt, Thule, além de ter as prefeituras de Porto Seguro e Guaratinga e o Instituto Brasil Ride como apoiadores institucionais do evento.

As 7 etapas da ultramaratona:

3ª etapa, dia 9/11 – 58,7 km e 1.350 m de altimetria em Guaratinga

4ª etapa, dia 10/11 – 103 km e 2.377 m de altimetria em Guaratinga

5ª etapa, dia 11/11 – 143 km e 2.336 m de altimetria de Guaratinga a Arraial

6ª etapa, dia 12/11 – 31,7 km e 564 m de altimetria em Arraial d’Ajuda

7ª etapa, dia 13/11 – 46,7 km e 548 m de altimetria em Arraial d’Ajuda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo