Ataques a bomba deixam cidadãos e autoridades em pânico no Afeganistão

Uma série de atentados a bomba em Cabul, capital do Afeganistão, ocorridos entre a noite de terça-feira (03) e a madrugada desta quarta-feira (04), causou perplexidade nas autoridades e deixou os cidadãos em pânico.

Ainda não há informações sobre vítimas (mortos e feridos), mas muitos afegãos estão temerosos pelo que pode acontecer nas próximas horas.

Soldado afegão em meio aos destroços e uma residência em Cabul, capital do Afeganistão – Foto: Waskil Kohsar/AFP

Os ataques tiveram como alvos prédios públicos e funcionários do governo afegão. Alguns desses imóveis ficam perto de residências onde moram famílias.

De acordo com informações das principais agências internacionais de notícias, os ataques foram realizados por insurgentes do Talibã. As autoridades afegãs acreditam que o grupo terrorista esteja planejando uma nova ofensiva por todo o país.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Afeganistão, que pediu para não ter o nome divulgado, disse em entrevista coletiva que as autoridades estão apavoradas com o que pode acontecer, já que a maior parte do contingente de militares norte-americanos já deixou o país.

A gente sabe o que vai acontecer se eles chegarem até aqui (Cabul, capital do país)”, disse o porta-voz.

Em uma cidade afegã, na fronteira com o Paquistão, 40 pessoas, todas civis, foram executadas por membros do Talibã, que os consideraram colaboracionistas das tropas norte-americanas, que estavam se retirando da região.

Os Estados Unidos e o Reino Unido consideraram a execução um massacre, e denunciaram a ação no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), que classificou o ato como um crime de guerra.

Toda a administração do atual presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, sabe que se os membros do Talibã chegarem a Cabul, eles serão presos e executados.

O porta-voz do Talibã já disse diversas vezes que Ashraf Ghani é uma marionete dos norte-americanos, e que seu governo é na verdade um engodo para enganar a população afegã.

As autoridades afegãs acreditam que os insurgentes do Talibã estão muito mais violentos, depois que se aliaram ao Estado Islâmico.

Na realidade, o único culpado pela atual crise no Afeganistão é os Estados Unidos (EUA), que invadiu o país em 2001, com a desculpa de libertar o povo de uma ditadura islâmica, mas que não conseguiu resolver os problemas dos afegãos e, agora, abandona-os a própria sorte.

No último fim de semana, os Talibãs realizaram uma série de ataques e atentados em três cidades do Estado de Lashkar Gah, no Sudoeste do país. A pedido do Exército, os moradores abandonaram as províncias.

Na noite desta terça-feira (03), um carro-bomba explodiu próximo a área onde reside o ministro da Defesa afegão, Bismillah Mohammadi. Ele não foi atingido, mas oito pessoas ligadas a ele morreram no ataque.

A área é considerada de segurança máxima, mas mesmo assim os insurgentes conseguiram entrar e cometer o atentado. A ação foi reivindicada pelo Talibã.

Na manhã desta quarta-feira (04), um novo ataque deixou três pessoas feridas, depois que uma bomba explodiu na sede da Diretoria Nacional de Segurança, a principal agência de inteligência do país.

Com informações das Agências France Presse e Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo