Fundação de Cultura publica chamamento no valor de R$ 5.300.000 com recursos do Retomada MS para realização de Festival

Campo Grande (MS) – A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS), publicou no Diário Oficial do Estado, o Chamamento Público por meio de verba proveniente do pacote de apoio “Retomada MS”, do Governo Estadual para habilitação de Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP’s) para seleção de projeto para realizar parte do Festival de Arte e Cultura de MS – Diversidade e Cidadania.

Foto: Daniel Reino/FCMS

O evento acontecerá em modo hibrido, com apresentações online e presenciais de 22 novembro a 05 de dezembro em diversos bairros e no centro de Campo Grande levando gratuitamente para a população as mais variadas artes.

A Fundação de Cultura MS habilitará Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP’s), que tenham em seus estatutos a finalidade cultural, a fim de selecionar o melhor projeto para executarem parte da produção do evento denominado Festival de Arte e Cultura de MS – Diversidade e Cidadania, por meio de Termo de Parceria.

Para execução do objeto do Termo de Parceria, a candidata poderá apresentar um projeto de até R$ 5.300.000,00 (cinco milhões e trezentos mil reais), incluindo todos os itens de despesas necessários à realização do projeto apresentado.

As OSCIP’s interessadas em participar podem se inscrever de 30 de julho a 30 de agosto para o Chamamento Público, deverão se pautar nas exigências mínimas para apresentação dos projetos. A seleção ocorrerá em duas fases: a fase de habilitação e a fase de seleção de projetos.

 “Por meio desse chamamento será possível realizar mais um evento cultural de grande porte, dentro das normas de biossegurança ao Covid estipuladas para época pelas autoridades sanitárias. Incentivando assim a parte econômica, propiciando mais uma oportunidade de trabalho para a classe artística que foi tão atingida por causa da pandemia, quanto a parte social, da coletividade que foi privada por tanto tempo dos eventos presenciais”, explica Mariana Rondon, diretora-geral da FCMS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo