Depois de Tóquio, João Menezes joga na Itália e estreia nesta terça-feira (3) em Cordenons

Tenista mineiro entra em quadra por volta das 7h (horário de Brasília) contra o chileno Marcelo Tomas Barrios Vera e disputará, também, a chave de duplas

São Paulo (SP) – Após integrar o Time Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio, o mineiro João Menezes está na Itália para a disputa de dois torneios Challenger seguidos. Nesta terça-feira (3), estreia em Cordenons e, na semana seguinte, entre os dias 9 e 15 de agosto, estará em San Marino. Menezes viajou do Japão para a Itália, treinando desde a sua chegada, preparando-se para a sequência do calendário 2021.

João Menezes está de volta ao saibro europeu (Divulgação)

A primeira rodada em Cordenons será diante do chileno Marcelo Tomas Barrios Vera (197 do ranking mundial), por volta das 7h (horário de Brasília). Barrios foi o adversário da final dos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, em 2019, em que Menezes conquistou o ouro e garantiu vaga nos Jogos de Tóquio. No circuito, eles se enfrentaram outras duas vezes, com uma vitória cada.

Menezes disputará, também, a chave de duplas, em parceria com o argentino Thiago Agustin Tirante. Os adversários, em data a ser definida, serão os também argentinos Andrea Collarini e Tomas Martin Etcheverry.

Número 4 do Brasil e 236 do mundo, Menezes volta à quadra, agora no saibro, confiante com a atuação na Olimpíada. O mineiro parou na primeira rodada, mas fez um ótimo jogo diante do croata Marin Cilic, decidido apenas no terceiro set, em um disputado tie-break, após mais de 3h de partida.
“Retorno ao circuito. Treinei no saibro, importante fazer essa adaptação. Estou bem empolgado em voltar a competir, depois do ótimo jogo que fiz contra o Cilic. Isso me dá confiança para uma boa segunda metade do ano. Jogo a jogo, ponto a ponto, torneio a torneio”, afirma Menezes, que tem o patrocínio de BRB e apoio de Fila, Wilson e Shopping Uberaba.

Nesta temporada, a partir de julho, Menezes retornou a Itajaí (SC), para treinar na academia ADK Tennis, no Itamirim Clube de Campo. O local foi base de seus treinamentos pela terceira vez na carreira, passando a contar com a parceria fixa do técnico Patrício Arnold, da ADK Tennis.

Nos meses de maio e junho, o mineiro realizou uma gira europeia no saibro, que incluiu o qualifying de Roland Garros e terminou na grama, no quali de Wimbledon. Em julho, representou o Brasil nos Jogos de Tóquio. E, agora em agosto, está de volta ao saibro.

Temporada 2021 – Na temporada 2021, Menezes jogou o quali do Australian Open, em Doha, no Catar, parando na segunda rodada. Na Turquia, em Istambul, saiu do quali e chegou às oitavas de final, e em Antalya ficou duas vezes na estreia. Na sequência, parou na primeira rodada do Challenger de Concepcion, no Chile, do ATP 250 de Córdoba, do quali de Buenos Aires e na segunda rodada do quali de Santiago. E na estreia do Challenger de Santiago, vindo de vitória no quali.

Depois, em Orlando (EUA), uma vitória em duplas. Em Tallahassee (EUA), uma vitória em simples e duas em duplas. Em Biella, Itália, duas vitórias em simples e uma em duplas. Em Heilbronn, Alemanha, uma vitória no quali e duas na chave principal. Novamente em Biella, uma vitória em duplas. Em maio, disputou o quali de Roland Garros, com duas vitórias. E, em junho, dois challengers em Almaty, no Cazaquistão, com vitórias na estreia.

Um pouco da carreira – O mineiro João Menezes, 24 anos, nascido em Uberaba, começou no tênis aos seis anos, influenciado pela família, levado pelo pai, que jogava, a dar as primeiras raquetadas. E foi se interessando mais e mais, seguindo na carreira, como juvenil e, depois, desde 2014, como profissional.

Entrou no circuito ITF aos 16 anos, alcançando a 21ª colocação mundial entre os juvenis. Em 2014, em parceria com Rafael Matos, foi vice-campeão da chave juvenil de duplas do US Open. Jogou também as chaves juvenis de Roland Garros e Wimbledon. E ficou com o vice-campeonato do Banana Bowl.

Menezes têm cinco títulos Future e a primeira conquista no circuito Challenger veio em 2019, em Samarkand, no Uzbequistão. Representou o Brasil por duas vezes em Jogos Pan-Americanos: em Toronto 2015 – oitavas de final – e em Lima 2019, voltando do Peru com a medalha de ouro e com a vaga para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

No ano passado, chegou à semifinal do Challenger de São Paulo (SP) e venceu a segunda etapa do Circuito BRB, em Brasília (DF), ambos em novembro, e disputou os qualis do Australian Open e de Roland Garros – neste com uma vitória.

Seu melhor ranking na carreira foi a 172ª posição, alcançada em fevereiro de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo