Luisa Stefani derruba dupla favorita nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Luisa Stefani e Laura Pigossi superaram dupla cabeça de chave 7 formada pelas canadenses Gabriela Dabrowski e Sharon Fichman na madrugada deste sábado (24)

São Paulo (SP) – A paulistana Luisa Stefani, 23ª do mundo, e sua parceira Laura Pigossi começaram com o pé direito na disputa dos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão, na madrugada deste sábado (24). As duas derrotaram a dupla cabeça de chave 7, formada pelas canadenses Gabriela Dabrowski (14ª) e Sharon Fichman (28ª), por 2 sets a 0 com parciais de 7/6 (7/3) 6/4, após 1h33min, na quadra 8 no Ariake Tennis Park.

A dupla das brasileiras, que entrou de última hora nos Jogos de Tóquio, conduziu bem a partida sacando para fechar o primeiro set com 6 a 5, perdendo a oportunidade, mas definindo no tie-break e no segundo serviram em 5 a 3, mas concluíram com quebra no game de devolução.

Estreia segura de Luisa e Laura (Alexandre Castelo Branco / COB)

“Super feliz com a estreia, ótimo jogo, não era uma primeira rodada fácil, mas demos conta do recado, chegamos firmes pro nosso jogo, confiantes e felizes em quadra, uma ajudando a outra, puxando, energia super boa. Nossa química está ótima essa semana, os treinos foram específicos do que cada uma ia fazer, entramos com plano de jogo claro e eficiente. Eu firme na rede e Laurinha muito sólida no fundo e deu certo. Nos impusemos e soubemos reagir bem nos momentos difíceis do jogo e manter o nível nos momentos que abaixamos um pouco. Isso faz a diferença nessas competições que têm mais pressão que o normal, sentimento diferente. Lidamos muito bem com as emoções. Muito feliz com a vitória agora é foco no próximo e focar na recuperação pois está muito quente. Vamos que vamos”, disse Luisa que tem o patrocínio do Banco BRB e os apoios da Fila, CBT, HEAD, Saddlebrook Academy, Tennis Warehouse e Liga Tênis 10.

Foi a estreia da jovem dupla brasileira em uma Olimpíada. Luisa tem 23 anos e vem fazendo história sendo a melhor ranqueada pelo país desde que o sistema da WTA foi criado em 1975 somando dois títulos e mais seis finais.

Dabrowski é conhecida de Stefani tendo feito uma final com a brasileira ano passado no torneio WTA 500 de Ostrava, na República Tcheca. As duas irão jogar juntas a partir de agosto até pelo menos o US Open.

Nas oitavas de final em Tóquio, a dupla joga contra as vencedoras das tchecas Marketa Vondrousova e Karolina Pliskova, vice-campeã de simples em Wimbledon, e a dupla das chinesas Ying Duan e Saisai Zheng.

A paulistana jogará duplas mistas com Marcelo Melo, torneio que começará no meio da semana que vem e terá a chave sorteada nos próximos dias. “Muito animada também por jogar pela primeira vez com o Melo, representar o Brasil, competir, emoção muito grande estar aqui, privilégio enorme. Agora é a hora mais esperada, é a hora de chegar, aproveitar cada momento e ir pra cima”, concluiu Stefani.

Carreira – Luisa Stefani, 23 anos, nascida em São Paulo (SP), mora em Tampa, na Flórida (EUA), treinando na Saddlebrook Academy. Cursou a universidade americana de Pepperdine, onde jogou o circuito universitário por alguns anos. Se destacou e optou por trancar a faculdade para disputar o circuito profissional integralmente a partir de meados de 2018. Ganhou destaque nas duplas e começou a colher resultados já em 2019, conquistando um título no WTA de Tashkent, no Uzbequistão, e o vice-campeonato em Seul, na Coréia do Sul, em outubro, com sua então nova parceria, a norte-americana Hayley Carter, terminando o ano perto das 70 melhores do mundo.

Em 2020, conquistou o WTA 125 de Newport Beach, na Califórnia e chegou às oitavas de final do Australian Open. Após a quarentena, comemorou o título do WTA de Lexington, nos Estados Unidos. Terminou o ano como a 33ª do mundo, primeira brasileira no top 40 em mais de três décadas. Começou 2021 com a final no WTA 500 de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, alcançando o top 30 – a primeira brasileira desde 1976 – e chegou à segunda decisão em Adelaide e à terceira em Miami, torneio da série WTA 1000. O vice-campeonato em Miami permitiu que Luisa subisse para a 25ª posição no ranking, o melhor de uma brasileira na história desde que o ranking WTA foi criado em 1975. Como juvenil, também foi destaque, conquistando vitórias em Wimbledon e tornando-se Top 10.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo