Dia da Yoga: Estácio inova na prática de projeto voltado ao bem-estar

Projeto Yoga na Estácio tem auxiliado corpo docente e público externo com atividades online

O impacto da pandemia pelo mundo afetou inúmeros, se não todos os tipos de atividades envolvendo o bem-estar alheio. Em tempos de isolamento social, onde a saúde mental e os cuidados com o corpo correm o risco de serem prejudicados, alternativas para manter práticas como os exercícios de relaxamento ou, outras atividades físicas em um formato próximo, surgem no modelo virtual.

Foto: Divulgação

A adaptação exige tempo, mas pensando nisso, a Estácio adaptou o Projeto Yoga na Estácio, para o formato virtual. O projeto é um convite ao núcleo acadêmico e o público externo para participarem, por meio chamadas de vídeo, de aulas práticas de yoga. O objetivo é promover o bem-estar e combater sintomas como estresse, ansiedade e depressão, além de auxiliar no relaxamento de mente e corpo em meio a pandemia. O projeto de extensão existe desde 2017, de modo presencial na Unidade Porto Alegre, e foi reinventado do último ano para cá, ganhando participantes de outras regiões do país.

Segundo a coordenadora do Projeto Yoga, Patrícia Fontes Marçal, “inicialmente a adaptação foi difícil, visto que, de repente, fomos desafiados a mudanças. Depois, ao longo dos meses fomos vendo as vantagens das práticas online, com alunos participando de diversos locais e municípios diferentes”.

Hoje, segundo Patrícia, o número de alunos participantes é rotativo, variando durante cada semana, visto que a atividade ocorre semanalmente. Para a aluna do curso de Direito e participante do Projeto, Yasmin Mahmud, os desafios do formato online dificultaram a prática no início, contudo, a sua adaptação ao novo modelo ocorreu de forma tranquila.

“Acredito que para quem não teve um primeiro contato com a prática de modo presencial pode ser complicado no começo, mas tudo é uma questão de nos adaptarmos a esse período, pois os exercícios de meditação ao fim da prática são os mesmos. Entretanto, devemos respeitar nossos limites e ao mesmo tempo nos desafiarmos aos poucos a cumprir os asanas, que são as posições feitas com o corpo, até que a prática do yoga passa a ser um hábito”.

Entre os alunos, quem também está presente é a psicóloga e coordenadora acadêmica da Estácio, Cassiane Amaral, que avalia o momento como propício para o surgimento de problemas como a depressão e ansiedade. Para ela, “na pandemia estamos todos muito suscetíveis a desenvolver sintomas graves, por este motivo as práticas de Yoga nos auxiliam muito a lidar com este período difícil. Embora o formato da atividade seja diferente, realizar as práticas não é complicado. O difícil é a pandemia!”.

A atividade virou uma tendência em diversos países pelo mundo, principalmente pela forma rápida de ser colocada em prática. Entretanto, Cassiane ressalta que “a prática sem supervisão é perigosa porque podemos lesionar alguma parte do corpo”.

Diante do impacto do exercício em sua rotina, Yasmin aponta que os maiores aprendizados que podem ser adquiridos a partir da yoga são a resiliência e a busca pelo equilíbrio. “Acredito que, junto destes pontos, a força, o autoconhecimento e o reconhecimento de que viver o aqui e o agora são os maiores aprendizados que podemos ter nessa busca por aprendizado e constante evolução que o yoga nos permite ter”, afirma a aluna.

Além do Projeto Yoga na Estácio, a professora Cassiane Amaral reitera que “diversas unidades das Estácio possuem o Núcleo de Apoio e Atendimento Psicopedagógico que oferece palestras, atendimentos e encaminhamentos a alunos, funcionários e professores”, como forma de seguir auxiliando em meio aos desafios causados pelo impacto da pandemia no cotidiano das pessoas.

Instrutora de Yoga indica 3 posições para fazer em casa

Para quem deseja iniciar sua prática de Yoga, a docente e instrutora Patrícia Fontes Marçal indica três posições simples que podem ser feitas em casa durante este período de isolamento social. Quem desejar participar das atividades do Projeto Yoga na Estácio poderá solicitar por meio do e-mail marcal.patricia@estacio.br. As atividades são gratuitas e semanais.

Padmasana – Também chamada de Posição de Lótus, é a famosa posição feita com as pernas cruzadas, os pés em oposição às coxas e com os braços esticados apoiando as mãos por cima dos joelhos. Ela tem como objetivo melhorar a respiração e proporcionar estabilidade física para o corpo, além de fortalecer os órgãos abdominais e a coluna.

Padahastasana – Flexão à frente do pé. Para fazer esta posição, basta manter os pés juntos com as pernas estendidas, elevar os braços inspirando e descer a frente do corpo soltando o ar. Mas para completar a posição, é necessário que a cabeça chegue aos pés. Quando completada, a posição proporciona massagem aos órgãos digestivos, e com isso melhora a digestão dos alimentos e melhora a circulação sanguínea no cérebro.

Chatuspadasana – A posição do “cão invertido”, tem como base posicionar-se com as mãos e os joelhos no chão. A partir disso, empurra-se com os pés e mãos até alcançar a posição do “cão invertido”.  O peso deve ser distribuído igualmente entre mãos e pés e o pescoço deve ser mantido em posição reta. Auxilia na melhora do sistema de defesa do corpo, aliviando dores de cabeça, insônia, dores nas costas e cansaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo