“Amar de Novo” – uma composição musical em afinada parceria

 “Quando a sua alma / se banha de ternura / o som da voz se acalma  / e vem salvar você…  // Solta o laço e a ponta / e abre a sua guarda… / vai deixando entrar / um novo amor…  // Nesse instante de magia  / sabe que a lembrança / é quem lhe guia  / como o olhar de uma criança  / que na sua inocência  / quase tudo vê  / com a esperança  / de um outro amor chegar…  // Esperou com paciência  / o momento certo pro sorriso… / Esqueceu sua carência  / fruto das pressões que o atormentaram  / e moravam no seu coração…”

 Ao sintonizar Paulinho Pedra Azul, menestrel mineiro, ouve-se suave murmúrio de um oceano sereno, “o som da voz se acalma e vem salvar você…”, entrelaçando sensibilidade e uma harmonia única que evoca os precursores da MPB e que marca seu especial talento para brilhar em meio a tanta riqueza musical.

Em “Amar de novo” (letra de Paulinho Pedra Azul e melodia de Rubenio Marcelo), música lançada há pouco no youtube, as palavras se convertem em envolvente aragem, tecendo as profundas continuidades do amor (e da arte) e seu poder duradouro, que é porta que nunca se fecha, é nicho de horizontes que nos envolvem “com a esperança de um outro amor chegar…”

A melodia da canção se funde à poesia e tem-se um momento purificador tanto do consagrado estilo de Paulinho quanto do indiscutível talento também de Rubenio, que, além da sua carreira consolidada na poesia, atua com competência na área da composição musical, vez que ainda na sua adolescência em Fortaleza se familiarizou com esta arte (música), especialmente com o violão. Ambos os artistas, vivenciam um daqueles ‘instantes de magia’; somam-se na leveza da época musical e, juntos, expõem o poder da obra em transformar o eu e o cosmo na maior busca do ser humano – “o momento certo pro sorriso…” a um outro amor, outra natural conquista.

Embora se encontrem ecos da inesquecível MPB, as cores, os acordes, a estrutura e o ritmo são peculiares aos dois artistas, mostram claramente a rica espiritualidade e a filiação independente de dois excepcionais compositores; cabe aplaudir a relevância de uma expansão desta parceria para nossa cultura, ainda mais com um dos maiores nomes da MPB: Paulinho Pedra Azul, um dos artistas mais conhecidos de Minas Gerais e do país, autor por exemplo (apenas para citar uma) da eterna “Jardim da Fantasia” (1982), canção imortalizada no tempo.

Poucos versos apresentam tão vigorosa suavidade no ímpeto e na ousadia de expressar um sublime tema, como em “Amar de novo”. Conforme enfatiza o título, tem-se aí a exaltação da necessidade afetiva/terna. Não é uma obsessão, é vento brando, nuvem inclusiva, paragem onde brinca o sorriso dos amantes. A última estrofe contempla a dor da ausência de sentimento tão vital, mas que fenece assim que o autor mergulha ‘no momento certo’ em nova onda de bem querer:

“Esqueceu sua carência / fruto das pressões / que o atormentaram / e moravam no seu coração…”

O mister de Paulinho Pedra Azul é dar diáfana luminosidade a esses versos tão essenciais a fim de serem mais do que uma reação estética, e sim ênfase na imagem da voz de regozijo que domina o enlevo. Já Rubenio Marcelo, também artífice de fecunda musicalidade, confere uma linha melódica de sensíveis nuances, em tom maior e original harmonia (uma perfeita simbiose de letra e melodia) – o que se mantém em perfeita paridade com a não menos afável modulação vocal da afinadíssima cantora mineira Joice Terra, que interpreta com maestria a composição.

Desde o início da sua juventude em Fortaleza, Rubenio é entusiasta da obra musical do cantor e compositor Paulinho Pedra Azul. Esta atual parceria é fruto de amizade iniciada em Belém do Pará, em 2018, quando os dois se encontraram em atividades artísticas na capital paraense.

Em “Amar de novo”, os autores transpõem um encontro memorável, de poesia e melodia, num ambiente artístico em que se aliam – em um leque temático – amor, ternura, inocência, magia, esperança. A composição musical é qual uma alegre sarabanda – lenta e majestosa no limite da paixão que retrata – tocada pelo vento e pelo bater rítmico dos corações de enamorados ouvintes.

Envolta no tema altivo da canção, lembrei-me de Alberto Caeiro, O amor é uma companhia, in O pastor amoroso: “O amor é uma companhia. / Já não sei andar só pelos caminhos, / Porque já não posso andar só…”

Assim como quem ama não quer estar só, as almas dos artistas também procuram seus pares para, desse encontro e junção de talentos, dividirem significativas criações. Que venham mais belas composições desta grande parceria artística Rubenio Marcelo & Paulinho Pedra Azul.

Obs: Aqui o link do vídeo/clipe da música “Amar de Novo” no youtube:

                        => https://www.youtube.com/watch?v=AOoXBGRhpQI

_______________________________________

*A autora Ana Maria Bernardelli é ensaísta, escritora e musicista. Formada em Língua e Literatura Francesa pela Université de Nancy, França. Membro da Comissão sul-mato-grossense de Folclore. Professora especialista em Literatura Brasileira e Portuguesa, há quatro décadas leciona em cursos preparatórios para concursos públicos e vestibulares. Recentemente, lançou o livro de poemas: Na Trilha das Formigas (Ed. Life, 2020). Natural do estado de São Paulo, reside em Campo Grande-MS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo