João Menezes vence a primeira no quali e busca vaga nesta segunda-feira (10) na Alemanha

Tenista mineiro, que joga como cabeça de chave 3, derrotou neste domingo (9) o espanhol Nicola Kuhn para avançar no Challenger de Heilbronn, no saibro alemão. O próximo adversário, às 6h30 (horário de Brasília), será o francês Maxime Janvier

São Paulo (SP) – João Menezes está na segunda e decisiva rodada do qualifying do Challenger de Heilbronn, na Alemanha. Neste domingo (9), o tenista mineiro deu o primeiro passo em busca da vaga na chave principal ao derrotar o espanhol Nicola Kuhn – 251 do ranking – por 2 sets a 0, parciais de 6/1 e 6/4, em 1h37min. Número 3 do Brasil e 199 do mundo, Menezes joga como cabeça de chave 3 do quali e confirmou seu favoritismo para avançar no saibro alemão. Nesta segunda-feira (10), valendo um lugar no torneio, enfrenta o francês Maxime Janvier – cabeça 8 e 227 do ranking -, que venceu o turco Altug Celikbilek (237) por 6/3 e 6/4. Jogo será às 6h30 (horário de Brasília).

“Fui muito sólido no primeiro set e sai atropelando. Já o segundo foi um set muito duro. Tive muitos break-points contra, mas consegui ficar firme e quebrar no final. Vitória importante. Estou muito feliz”, explicou Menezes, que tem o patrocínio de BRB e apoio de Fila, Wilson e Shopping Uberaba.

Menezes deu o primeiro passo no quali neste domingo (Divulgação)

Menezes começou o jogo dominando totalmente o adversário. Com duas quebras seguidas, chegou a 5/0, fechando o set com tranquilidade, 6/1. O segundo foi mais equilibrado, com os dois tenistas mantendo seus serviços. Após salvar várias chances de break do espanhol, Menezes quebrou no nono game, 5/4, e confirmou seu saque no seguinte, para marcar 6/4 e vencer a primeira na Alemanha.

O Challenger de Heilbronn dá sequência à gira europeia de Menezes no saibro, iniciada em Biella, na Itália, na semana passada. Após o torneio alemão, voltará para a Itália, em mais um challenger em Biella, a partir do dia 17 deste mês.

Desde 2018, Menezes disputa torneios do circuito Challenger, tendo conquistado seu primeiro título em 2019, em Samarkand, no Uzbequistão. No ano passado, chegou à semifinal do Challenger de São Paulo (SP) e venceu a segunda etapa do Circuito BRB, em Brasília (DF), ambos em novembro, e disputou os qualis do Australian Open e de Roland Garros – neste com uma vitória.

Temporada 2021 – Este ano, abrindo a temporada 2021, Menezes jogou o quali do Australian Open, em Doha, no Catar, parando na segunda rodada. Na Turquia, em Istambul, em quadras duras e cobertas, saiu do quali e chegou às oitavas de final, e em Antalya, no saibro, parou duas vezes na primeira rodada. Assim, tem uma vitória no quali do Australian Open e duas no quali e uma na chave principal em Istambul. Na sequência, parou na primeira rodada do Challenger de Concepcion, no Chile, na estreia no ATP 250 de Córdoba, na primeira rodada do quali de Buenos Aires e na segunda rodada do quali de Santiago. E na primeira rodada do Challenger de Santiago, vindo de vitória no quali. Em Orlando, uma vitória em duplas. Em Tallahassee, uma vitória em simples e duas em duplas. Em Biella, duas vitórias em simples e uma em duplas. Na Alemanha, vitória na estreia no quali.

Um pouco da carreira – O mineiro João Menezes, 24 anos, nascido em Uberaba, começou no tênis aos seis anos, influenciado pela família, levado pelo pai, que jogava, a dar as primeiras raquetadas. E foi se interessando mais e mais, seguindo na carreira, como juvenil e, depois, desde 2014, como profissional.

Entrou no circuito ITF aos 16 anos, alcançando a 21ª colocação mundial entre os juvenis. Em 2014, em parceria com Rafael Matos, foi vice-campeão da chave juvenil de duplas do US Open. Jogou também as chaves juvenis de Roland Garros e Wimbledon. E ficou com o vice-campeonato do Banana Bowl.

Menezes têm cinco títulos Future e a primeira conquista no circuito Challenger veio em 2019, em Samarkand, no Uzbequistão, no mês de maio. Representou o Brasil por duas vezes em Jogos Pan-Americanos: em Toronto 2015 – oitavas de final – e em Lima 2019, voltando do Peru com a medalha de ouro e com a vaga para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Seu melhor ranking na carreira foi a 172ª posição, alcançada em fevereiro de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo