‘SoundCloud Royalty Shift’: o primeiro passo para devolver as decisões musicais aos fãs

A cena musical latino-americana se beneficia mais do que qualquer outra região

No mês passado, o provedor de streaming de música SoundCloud anunciou que as recompensas de seus artistas serão baseadas e capitalizadas por seus seguidores e fãs. Este sistema de royalties baseado na “opinião dos fãs” tem validade a partir de 1º de abril e substituirá o tradicional sistema de “grupo”, em que o apoio financeiro aos artistas era baseado no número total de downloads.

A mudança que o SoundCloud irá implementar é um passo significativo para restaurar o conceito de “música popular e se torna uma nova forma de impulsionar o talento de artistas e compositores ao redor do mundo e de fazer valer a opinião de seus fãs.

Brian Malouf – Foto: Divulgação

O poder dos seguidores

A chegada da Internet marcou um período de desconexão entre as produtoras musicais e seus artistas. O poder de transmissão e tomada de decisão permaneceu nas mãos das empresas de telefonia e cabo, plataformas de mídia social e fornecedores de hardware, uma vez que cada um desses atores tem papéis e interesses diferentes na propagação da música original; tornando notável a pouca conexão entre fãs e artistas.

Com isso, não estou sugerindo que antes da Internet tudo era o paraíso e a luz, no entanto, artistas e profissionais de repertório (A&R) tinham um voto decisivo sobre quais grupos se inscrever ou promover, e o faziam com base em um conhecimento profundo de público, eles frequentemente os conheciam ao ponto da obsessão.

Naquela época, os profissionais de A&R estavam mostrando o verdadeiro significado e potencial da música. Para eles, a música era um negócio – era improvável que se distraíssem com vendas de hardware ou a receita que ganhavam por usuário ao procurar por talentos!

Atualmente, a realidade é diferente para futuros músicos e compositores, pois eles enfrentam um sistema baseado na monetização e impulsionam a participação no mercado, ao invés do talento.

A pesquisa deste ano do Centre National de la Musique da França resume a situação perfeitamente: 10% de toda a receita do Spotify e do Deezer vai para apenas 10 artistas. Isso representa uma enorme participação de mercado (para os 10 sortudos), em comparação com os milhares de estilos e gêneros que buscam um público.

Por que isso é importante? A receita com vendas de música gravada na América Latina aumentou 19% ao longo de 2019 (este é o último valor disponível no mercado), sem incluir receita de performance, marketing e outras associadas.

Embora o COVID-19 tenha afetado seriamente as receitas de concertos e teatro, os números refletidos pelo mercado dos EUA representam um guia para as vendas registradas e estima-se que continuarão a crescer apesar da pandemia.

No entanto, além do crescimento econômico e dos empregos criados, a música, particularmente a composição original, representa uma das formas mais profundas e pessoais de expressão. Não apenas para o compositor ou artista, mas também para aqueles cujas vidas mudam ao ouvir cada música. Esses sentimentos não se limitam à representação de dez artistas “sortudos” que dominam o Spotify.

Segundo a Chartmetric, as origens das tendências musicais e hits da região estão em várias cidades da América Latina (Sul e Sudeste Asiático), onde você pode interagir mais rápida e facilmente com artistas novos ou emergentes, não importa a sua escolha ou seu mercado de origem.

Essa tendência ficou evidente entre 1955 e 1999, quando 455 singles de 117 artistas latinos chegaram ao Top 100 da Billboard, incluindo Chicano, Richie Valens e Miami Sound Machine. Segundo a pesquisa “(da América Latina). . . . 658 milhões de pessoas estão aumentando sua participação na indústria musical global mais rápido do que qualquer outra pessoa no mundo. “

Por que isso é importante? A receita com vendas de música gravada na América Latina aumentou 19% ao longo de 2019 (este é o último valor disponível no mercado), sem incluir receita de performance, marketing e outras associadas.

Sei que a América Latina tem uma história de detecção e promoção de talentos musicais. Isso foi confirmado na última edição do Djooky Music Awards global, onde o segundo lugar foi obtido pelo artista chileno Verdugoivf.

É por isso que o esquema de royalties “baseado em fãs” do SoundCloud representa mais um passo na direção certa. Mas para que os artistas e compositores latino-americanos alcancem seu potencial, toda a indústria precisa voltar às suas bases: aquele vínculo único entre o artista e seu público.

Brian Malouf, fundador do DJOOKY Music Awards é um produtor, engenheiro e mixer americano multi-platina que trabalhou com Michael Jackson, Queen, Madonna, Pearl Jam, Stevie Wonder e outros artistas mundialmente famosos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo