O objetivo disfarçado de Fachin

A decisão do ministro Edson Fachin de levar ao plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) o recurso da Procuradoria Geral da República (PGR) à sua decisão de considerar o juízo federal de Curitiba incompetente para apreciar processos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, muito provavelmente esconde outro objetivo.

Ainda que ele não confesse, sua decisão monocrática de 8 de março visava evitar que a Segunda Turma julgasse, no dia seguinte, a suspeição do ex-juiz. Tanto que, no mesmo ato em que admitiu, tardiamente, a incompetência daquele juízo, Fachin declarou a perda de objeto do pedido de suspeição de Sérgio Moro. Ou seja, tentou evitar o debate em torno do Habeas Corpus (HC 164493) questionando a suspeição do ex-juiz. Na Segunda Turma sua tese não foi acolhida. Certamente ele tentará aprova-la no plenário, junto aos demais ministro. Uma missão muito difícil.

Leia e entenda em: https://marceloauler.com.br/o-objetivo-disfarcado-de-fachin/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo