Movimento Abril Verde promove valorização da saúde do trabalhador brasileiro

Campo Grande ocupa a 17ª colocação no ranking de municípios com mais acidentes de trabalho

Campo Grande (MS) – A data de 28 de abril é marcada pela celebração do Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho, razão pela qual o mês foi escolhido como período de conscientização sobre a prevenção a acidentes de trabalho e promoção da saúde do trabalhador. O dia foi criado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) para lembrar o grave episódio em 1969, nos Estados Unidos, que vitimou 78 funcionários em uma mina.

Nos termos da lei, um acidente de trabalho é caracterizado pela ocorrência de lesão corporal, perturbação funcional ou doença que cause morte, a perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho. O acidente deve ter ocorrido em tempo ou local do exercício da atividade trabalhista. “O Abril Verde é uma campanha que dá visibilidade à importância da segurança no ambiente de trabalho. Todo e qualquer local em que haja funcionários desempenhando suas funções deve assegurar sua integridade física e mental”, defende o coordenador do curso de Engenharia Civil da Uniderp, Antonio Carlos Sibellino de Barros.

O último levantamento divulgado pelo Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho indica que em Campo Grande/MS, na série histórica de 2002 a 2018, foram registrados 4,5 mil acidentes de trabalho colocando a capital na 17ª colocação no ranking de municípios. “É, sem dúvidas, um índice muito alto, o que demostra claramente a importância da campanha. Há que se reforçar ainda a necessidade da supervisão e orientação de um profissional de Engenharia de Segurança do Trabalho nesses locais”, orienta o professor.

Dentre os acidentes mais registrados são listadas as quedas, os ocasionados por ferramentas, lesões por esforço repetitivo (LER) e choques elétricos. Para cada tipo, há uma orientação preventiva específica, além do uso de equipamentos de proteção individual, também conhecidos como EPIs. “Somente uma pessoa capacitada com cursos específicos e preparação pode supervisionar, orientar e executar técnicas e procedimentos em segurança e medicina do trabalho”, esclarece Antonio Carlos. Graduados em quaisquer habilitações da Engenharia podem cursar a pós-graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho e solicitar o registro no conselho profissional, passando a ter autorização para atuar na área.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo