Casos de Covid-19 voltam a crescer é preciso reforçar os cuidados para evitar a contaminação

Manter distanciamento social, uso de máscara e higiene das mãos continuam sendo primordiais no dia a dia

Nas últimas semanas os casos de Covid-19 voltaram a subir em todo o Estado e, como consequência, os leitos dos hospitais voltaram a ficar lotados, especialmente os das Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Embora os cuidados necessários para evitar a contaminação pelo novo coronavírus sejam amplamente divulgados desde o início da pandemia, muitas pessoas ainda ignoram a gravidade da doença.

Hospital Unimed Campo Grande (MS) – Foto: Divulgação

A irresponsabilidade daqueles que deixam os protocolos de segurança de lado, coloca em risco a própria vida e as de pessoas à sua volta. Por isso, nesse momento delicado que estamos enfrentando, vale ressaltar as medidas de biossegurança, indispensáveis para ajudar a combater a doença que já ceifou a vida de milhares de pessoas em todo o mundo:

– Em qualquer ambiente, manter distância mínima de 1,5 metro de outras pessoas

– Evitar aglomerações

– Higienizar as mãos constantemente com água e sabão ou com álcool em gel 70%

– Usar máscaras de proteção constantemente ao sair de casa

As mesmas medidas valem para os locais de trabalho. Além disso, é essencial higienizar mesas, computadores, telefones e objetos de uso compartilhado.

Vale destacar que embora a vacinação contra a Covid-19 esteja em andamento e parte do público prioritário tenha recebido as doses, ainda não há vacina para imunizar toda a população, portanto, as medidas de biossegurança deverão ser mantidas por um bom período, afirmam especialistas.

As vacinas disponíveis no Brasil terão duas doses com intervalo entre uma e outra, então, para criarmos anticorpos não será imediato. Como não há imunidade instantânea, é preciso continuar usando máscara, evitar aglomeração, usar álcool em gel e lavar as mãos corretamente. Continua a mesma orientação que nós tínhamos desde o início da pandemia”, ressalta a infectologista da Unimed Campo Grande, Dra. Haydeé Marina do Valle Pereira.

Dr. Maurício Pompilio, também infectologista da cooperativa médica, completa dizendo que “a resposta imunológica desencadeada pela vacina não é imediata, pode demorar dias ou semanas. A proposta é continuarmos com as medidas protetoras após a vacinação até que haja queda significativa no número de casos local e mundialmente”.

Exaustos, profissionais da saúde que há um ano dedicam-se a combater a doença e a salvar vidas, voltam a pedir à população que faça a sua parte e adotem as medidas necessárias contra o coronavírus.

É preciso que a sociedade concentre esforços, mais uma vez, para conter o avanço desta doença, adotando definitivamente todas as medidas fundamentais de cuidado e prevenção contra a Covid-19, medidas estas amplamente divulgadas pela cooperativa médica desde o início da pandemia. Precisamos destacar que embora tenhamos estrutura adequada e equipe altamente preparada para atender pacientes com a Covid-19, estes são recursos finitos”, reforçou o diretor-presidente da Unimed Campo Grande, Dr. Maurício Simões Corrêa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo