Estudo mostra que Spray Control reduz em até 99,9% a dispersão do aerossol gerado em ambiente odontológico

Pesquisa desenvolvida pela Faculdade São Leopoldo Mandic mostra que novo dispositivo de biossegurança é composto por material seguro, possui baixo custo, além de atender todas as especialidades Odontológicas

Foto: Divulgação

Os profissionais da área da Saúde, especialmente os cirurgiões-dentistas, sempre estiveram expostos a diversos patógenos (vírus, bactérias e fungos) pela forma como se dá a relação com o paciente. Atualmente, há uma grande preocupação com a transmissão por conta do vírus da Covid-19. A maioria dos estudos publicados até o momento confirma o alto potencial de transmissão viral pelo ar, especialmente quando há a geração do aerossol (partículas menores do que 5µm).

Em ambiente odontológico, a criação de aerossóis se dá pelo simples ato de utilizar dispositivos como a alta rotação (motorzinho do dentista) e o ultrassom, por exemplo. Caso o paciente esteja infectado, mesmo que esteja sem sintomas da doença, pode contaminar o ambiente com o vírus carreado pelo aerossol. Com a pandemia da Covid-19, cresceu a busca por soluções seguras que permitissem a continuidade dos atendimentos.

Por conta dessas preocupações, a CVDentus, localizada em São José dos Campos, interior de São Paulo, desenvolveu o Spray Control. O produto foi desenvolvido em silicone autoclavável que se acopla na ponta do ultrassom e atende as especialidades odontológicas que fazem uso desse equipamento. Além disso, a empresa, que é do ramo de inovação, está disponibilizando para outras empresas do setor a tecnologia Spray Control, com o intuito de diminuir o risco de contaminação cruzada em ambiente odontológico.

Spray Control foi testado em parceria com a Faculdade São Leopoldo Mandic. “Os resultados foram surpreendentes. Quando comparamos a dispersão do aerossol gerado pelo ‘motorzinho do dentista’ com o ultrassom associado ao Spray Control, a redução foi de até a 99,9%, podendo ser uma alternativa segura na rotina clínica”, afirma o coordenador da pesquisa e docente da Disciplina de Microbiologia da instituição, o Prof. Dr. Victor Montalli.

Além disso, foi avaliado no estudo a performance do equipamento e não foi identificada alteração na temperatura nas pontas de ultrassom quando envoltas pelo Spray Control. Os resultados da pesquisa foram publicados no periódico científico americano PLoS ONE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo