Mais sete pessoas morrem por falta de oxigênio no Amazonas

O Estado do Amazonas está passado por uma grave crise de saúde pública, com falta de leitos para pacientes com Covid-19 (Coronavírus) e, sobretudo, pela falta de cilindros de oxigênio, essencial para manter as pessoas vivas.

Em meio ao caos, mais sete pacientes morreram nesta terça-feira (19) por falta de oxigênio. Os governos municipais e estadual estão adotando medidas emergenciais para receber os cilindros.

Cilindros de oxigênio são embarcados em aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) com destino ao Amazonas – Foto: Agência Brasil (ABr) / Divulgação

As mortes ocorridas hoje aconteceram no município de Coari, a 450 km de distância de Manaus, capital do Estado. A cidade deveria ter recebido 40 cilindros de oxigênio na segunda-feira (18), mas a aeronave que deveria transportar os tanques acabou seguindo para Tefé e ficou impedida de seguir viagem, já que o aeroporto local não aceita voos noturnos.

Em nota, a Prefeitura Municipal de Coari disse que a responsabilidade é da Secretaria Estadual de Saúde, por não ter realizado um planejamento de logística de transporte e distribuição de cilindros de oxigênio para os municípios.

Ainda segundo a nota, o município de Coari deveria receber 200 cilindros de oxigênio, porém os mesmos encontram-se retidos em um depósito da Secretaria Estadual de Saúde.

A Prefeitura de Coari disse ainda que a Secretaria Estadual de Saúde estaria distribuindo os cilindros de oxigênios a que tem direito a Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Manaus.

Até o momento a Assessoria de Comunicação da Secretaria Estadual de Saúde não se manifestou sobre o assunto, mas assim que o fizer a informação será inserida nessa reportagem.

O Amazonas possui atualmente 232 casos de Covid-19 (Coronavírus) e 6,3 mil mortes pela doença. Os hospitais encontram-se lotados, sem vagas nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e com um estoque de oxigênio extremamente baixo.

Com informações das Agências Brasil e Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo