Idosos na pandemia: S.O.S para saúde mental

Marcia Rejane Semensato – Foto: Arquivo Pessoal

Os idosos são um dos grupos de risco mais afetados pelos impactos da pandemia, principalmente com a manutenção do isolamento social em datas comemorativas como Natal e Ano Novo. Por exigirem cuidados redobrados, acabam vivendo um isolamento social mais intenso e estão mais propensos ao sentimento da solidão, ansiedade e, muitas vezes – quando mal compreendida a situação – abandono.

Isolar-se das conexões de vida é um risco objetivo e subjetivo – pode afetar a saúde física e emocional. Um idoso pode estar em risco ampliado principalmente se estiver prisioneiro em um isolamento emocional, relacional e afetivo, um isolar-se dentro de si que empobrece seus interesses.

Por isso, se você convive com alguém idoso, auxilie nesse cuidado. Além de perguntar como pode ajudar, observe como essa pessoa está vivendo o período de isolamento social, se pede auxílio, se compartilha algo sobre seus momentos, se há risco de se estar vivenciando uma solidão, desamparo ou inatividade. O isolamento de contato afetivo, de conexão, por exemplo, sugere que outras questões de saúde emocional podem estar se manifestando ou se agravando.

Se é idoso ou idosa e está vivendo esse momento de vida, não apenas sobreviva, viva e proteja-se. Lembre-se, “isolamento social” não é sinônimo de estar incomunicável nas suas relações sociais e afetivas, ao menos no século XXI. Aí estão as tecnologias para nos mostrar que podemos até nos encontrar sem estar no mesmo espaço físico. Tope essas aventuras!

Explore possibilidades, não apenas na tecnologia, mas também no bom, velho e sempre atual, artesanal: crie, mexa, invente, plante, leia, cante, desenvolva-se ainda mais, aventure-se em seus interesses que são possíveis no momento. Os hobbies são extremamente vantajosos neste período. A maioria, além de ser importante para manter-nos ativos, pode ser feita também individualmente.

Proteja-se e desafie-se nos investimentos em seus interesses. Sabe aquela curiosidade que você sempre teve interesse de aprender? Agora é um ótimo momento! Viva e proteja a vida! Sairemos desta com novas experiências e recursos!

*Marcia Rejane Semensato, coordenadora de Psicologia da Estácio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo