O Direito de Pensar: Uma viagem radiofônica ao julgamento do macaco

Podcast resgata um histórico e polêmico debate envolvendo ciência, religião e liberdade de pensamento. Diretamente do túnel do tempo para o “novo normal”

“Eu estou contra. Contra essa gente branca do Sul, que ainda não engoliu uma derrota de 60 anos atrás; contra William Jennings Bryan, esse mito, essa ‘esperança branca’ que já levou a porta na cara em três eleições presidenciais; contra um sistema de ensino planejado para que a América negra receba apenas a educação suficiente para servir de mão de obra barata. Essa é a verdade que os sulistas querem apagar, só porque torna ridículo tudo aquilo em que eles acreditam. O ensino da Evolução é importante, sim, mas aqui no Sul a vida dos negros importa muito mais!” – brada o personagem Martin Jackson, membro da Associação Nacional pelo Progresso das Pessoas de Cor, no podcast “O direito de pensar – uma viagem radiofônica ao julgamento do macaco”, que chega a seu sexto e último episódio nesta quinta, dia 10, destacando o personagem negro – um dos poucos fictícios – defendido pelo ator Daniel Ferrão.

Foto: Divulgação

Esse projeto da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (EMERJ) resgata um caso ocorrido no início do século 20, numa cidadezinha dos Estados Unidos. Foi o julgamento de um professor, acusado de ensinar a Teoria da Evolução, de Charles Darwin, que contraria a história contada pelas religiões cristãs, de que a humanidade teria surgido a partir de Adão e Eva. Esse embate entre ciência e religião ficou famoso no mundo inteiro graças à transmissão do julgamento por meio do radio.

Contando com desembargadores e juízes no elenco, ao lado de atores profissionais, o audiodrama em forma de podcast foi todo gravado on-line, com atores contracenando via internet. Este “novo normal” foi capaz de transformar uma história ocorrida nos Estados Unidos, em 1925, que já virou peça e filme, num podcast com pegada de radionovela do século 21.

O caso, que ficou conhecido como “Julgamento do macaco”, é bastante familiar ao meio do Direito e tornou-se muito conhecido do público quando foi eternizado pelos autores estadunidenses Jerome Lawrence e Robert E. Lee na peça “Inherit he Wind” (1955), posteriormente adaptada para o cinema.

“O audiodrama fala de liberdade de pensamento, ciência, religião e direitos civis dos EUA de 1925, temas polêmicos no Brasil de 2020”, explica Sílvia Monte, que idealizou, escreveu, dirigiu e produziu o podcast. Para ela, foi incrível e desafiadora a experiência de misturar personagens reais de uma história remota com personagens da nossa realidade, combinando falas de ontem e de hoje. “História, ficção e realidade entrelaçadas para pensarmos nossa realidade marcada por intolerância e fundamentalismo”, resume a diretora.

Os episódios podem ser ouvidos nos principais agregadores de podcast. O último estará disponível, emblematicamente, no dia 10 de dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos.

O podcast é uma realização da EMERJ, sob o comando do diretor-geral da instituição, o desembargador André Gustavo Corrêa de Andrade, que, inclusive, faz uma participação especial no episódio cinco, dando voz a um cientista, filósofo e escritor.

ELENCO

[Magistrados – desembargadores e juízes do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro – advogados e atores convidados]

MAGISTRADOS E ADVOGADOS

Desembargadora ANA MARIA PEREIRA DE OLIVEIRA – Dra. Daisy Stewart, Promotora de Dayton

Desembargador aposentado ANTÔNIO CARLOS ESTEVES TORRES – Prefeito Gary Randolph

Juíza de Direito ELIZABETH LOURO – Glenda Easterbrook, repórter da rádio WGN Atlanta

Advogado e desembargador aposentado GERALDO PRADO – Henry Louis Mencken, jornalista e comentarista da radio WGN de Baltimore

Desembargador JOSÉ MUIÑOS PIÑEIRO FILHO – Professor Walter White, Professor Oliver Barclay, Dr. Horatio Hackett Newman e “Chimp” Tony

Juiz de Direito RENATO CHARNAUX SERTÃ – Clarence Darrow, advogado de defesa.

Juiz de Direito RICARDO ANDRADE – John Carter, repórter da WGN Atlanta

Desembargador aposentado e advogado RONALD VALLADARES – Juiz John Rauston

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL

Diretor-Geral da EMERJ Desembargador ANDRÉ GUSTAVO CORRÊA DE ANDRADE como Fay Cooper Cole, filósofo, antropólogo e escritor

ATORES CONVIDADOS

ADRIANA SEIFFERT – Professora Anna Smith, Secretaria do Conselho Escolar e professora da Escola Municipal de Dayton; Cidadã de Dayton

ANTONIO ALVES – Locutor da Rádio WGN Atlanta; Assessor do Prefeito; Reverendo Cartwright; Isaiah; Jim Riley; Sr. Bernstein; Cidadão

DANIEL FERRÃO – Professor John Thomas Scopes; Meirinho; R. L. Gentry; Paul McKenzie; Cidadão; Martin Jackson

DULCE PENNA – Caroline Smith; locutora da Rádio WGN Atlanta; Sra. Mildred Kramer, Vice Presidente da Liga das Senhoras e Diretora do Coral Cristão de Dayton; e Samantha Boneyard, jornalista da Gazeta de Cristo

JOSÉ HENRIQUE MOREIRA – Deputado John Butler; J. P. Massingill; Dr. Maynard Metcalf

LUCAS DRUMMOND – Howard Morgan; vendedor de picolé, jornalista da Vox News

LUCAS GOUVÊA – Jerome Lee, âncora do “WGN Manhã”, da rádio WGN Atlanta

NEDIRA CAMPOS – Sra. Roselyn Christie, Presidente da Liga das Senhoras de Dayton

RICARDO LEITE LOPES – Dave Sinclair, âncora do “Encontros com a Cultura na WGN”, da rádio WGN Atlanta

ROGÉRIO FREITAS – William Jennigs Bryan, advogado da acusação

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: CORAL DO CT/UFRJ como Coral Cristão de Dayton

FICHA ARTÍSTICA

Dramaturgia: JOSÉ HENRIQUE MOREIRA e SÍLVIA MONTE

Pesquisa e tradução dos autos do processo original e de artigos da imprensa americana da época: JOSÉ HENRIQUE MOREIRA

Assistente de dramaturgia: RICARDO LEITE LOPES

Trilha musical original: WAGNER CINELLI

Execução

DIDIER FERNAN, baixo; PAULINHO CRIANÇA, bateria; WAGNER CINELLI, teclado; DANIEL ZIMMER, violão e gongo, GABRIELA ZIMMER e WAGNER CINELLI, coro.

Paródia de “Oh! Susanna”, de STEPHEN FOSTER

Letra: JOSÉ HENRIQUE MOREIRA

Voz e violão: MATHEUS VON KRUGER

Arranjos: URCA BOSSA JAZZ

Gravação e mixagem: La Maison Estúdio

Música Tema: “Bourbon com Cachaça”, de WAGNER CINELLI

Execução de “Old time religion”: CORAL DO CT/UFRJ

Regência, gravação e edição online: ALBERTO NERY

Identidade visual: MARIANA BERSOT

Assessoria de imprensa: SHEYLA GOMES e CARLA PAES LEME

Produção Executiva: JULIANA TRIMER

Gravação on line, direção de gravação, edição, sonorização: LUAN ALENCAR (Maremoto)

Veiculação, criação e manutenção do canal nos agregadores de podcast: MAREMOTO

Idealização, direção e produção: SILVIA MONTE

Realização: ESCOLA DA MAGISTRATURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – EMERJ, sob Direção-Geral do Desembargador ANDRÉ GUSTAVO CORREA DE ANDRADE

“O direito de pensar – Uma viagem radiofônica ao julgamento do macaco”

Ouça o podcast “O Direito de Pensar – Uma viagem radiofônica ao julgamento do macaco”:

ANCHOR

https://anchor.fm/odireitodepensar

PODCASTSAPPLE

https://www.google.com/podcasts?feed=aHR0cHM6Ly9hbmNob3IuZm0vcy8zZDllYzNkOC9wb2RjYXN0L3Jzcw==

SPOTIFY

https://open.spotify.com/show/3AEQMqxT8KWjGsM8i96Auh

BREAKER

https://www.breaker.audio/o-direito-de-pensar-uma-viagem-radiofonica-ao-julgamento-do

POCKET CASTS

https://pca.st/3ec9lghf

RADIO PUBLIC

https://radiopublic.com/o-direito-de-pensar-uma-viagem-r-857oYn

SITE DA EMERJ

https://www.emerj.tjrj.jus.br/paginas/podcasts/podcasts.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo