Comércio virtual tem crescimento recorde no Brasil em 2020

Black Friday, realizada na última sexta-feira, foi data com maior volume de venda já registrado no país em todos os tempos

O e-commerce – comércio virtual – registra a cada ano crescimento bastante expressivo, mas a pandemia da COVID-19 e as mudanças desencadeadas por ela ajudaram a impulsionar o setor. No segundo trimestre do ano houve aumento de 112% nos pedidos online, com 24% de participação de novos clientes, segundo dados divulgados pelo Google Brasil. Somente na última sexta-feira (27), dia da chamada Black Friday, as vendas passaram de 5,1 bilhões – valor 31% maior do que o mesmo período do ano passado -, segundo levantamento da Neotrust/Compre&Confie. A data teve o maior volume de venda já registrado no país, com mais de 5 mil pedidos por minuto em alguns períodos.

Black Friday, realizada na última sexta-feira, foi data com maior volume de venda já registrado no país em todos os tempos – Foto: Divulgação

Nós vimos um crescimento espantoso no e-commerce, principalmente durante a pandemia, e eu como provedor de internet e representante do setor fico muito feliz por ver que o nosso trabalho está ajudando a sociedade e os usuários de internet facilitando seu dia a dia, seu lazer, seu trabalho e também suas compras”, comenta Dário Burda Jr, presidente da APIMS (Associação dos Provedores de Internet de Mato Grosso do Sul). Segundo Dário, a expectativa para os próximos meses é que esse aumento se mantenha, pois, muitos hábitos do “novo normal” vieram para ficar, e os provedores regionais – que representam mais de 60% das empresas que fornecem internet no Estado – estão se adaptando para continuar fornecendo conexão à internet de qualidade.

Muitas lojas que não tinham canais digitais tiveram que se adaptar, e os consumidores encontraram no e-commerce a oportunidade de continuar comprando o que precisavam, inclusive itens de mercado. A secretária Evelim Barbosa já fazia compras virtuais, mas afirma que nesse ano a frequência aumentou. “Acho mais fácil comprar pela internet, pela praticidade. Compro cosméticos, roupas, acessórios e nunca tive nenhum problema”, conta. O engenheiro de computação Lucas Akayama também prefere as compras online. “Durante os meses de pandemia não saí de casa para comprar nada, tudo que precisei consegui encontrar na internet ou por delivery”.

Ele alerta para a importância de verificar a reputação dos sites antes de comprar, e tomar cuidado com ofertas muito vantajosas. “Comprar pela internet é seguro, mas é preciso pesquisar a procedência do site, principalmente antes de divulgar dados de cartão de crédito”. Os resultados do ano foram expressivos, mas a tendência é de ampliação até o fim de 2020, com o Natal se aproximando, e nos próximos anos, nesse cenário cada vez mais digital e conectado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo