Absenteísmo: o verdadeiro vilão das grandes empresas

Um dos grandes objetivos de gestores e colaboradores do RH é combater o absenteísmo e, muito mais do que isso, engajar e motivar verdadeiramente funcionários para que esse mal seja cortado pela raiz.

O absenteísmo é um dos muitos problemas enfrentados pelas empresas e é um indicador essencial de ser acompanhado de perto para que a produtividade, desenvolvimento e resultados de um negócio não sejam drasticamente prejudicados.

Foto: Shutterstock

Você sabe o que é o absenteísmo, seu cálculo e algumas de suas causas? Vamos falar um pouco mais sobre ele, confira!

O que é absenteísmo?

Sua empresa já analisou o quanto faltas e atrasos dos colaboradores atrapalham no andamento das atividades, sejam individuais ou dos times? É justamente sobre isso que se trata esse conceito.

O absenteísmo é a soma das faltas, atrasos e saídas dos postos de trabalho, sejam elas justificadas ou não. Segundo a CLT, Consolidação das Leis do Trabalho, o absenteísmo significa “estar fora, afastado ou ausente” e ele é caracterizado por:

  • Falta injustificadas;
  • Atrasos, saídas antecipadas ou intermediárias;
  • Suspensões disciplinares;
  • Horas de atestado ou absenteísmo involuntários como doenças comuns, ocupacionais ou acidentes de trabalho.

O absenteísmo pode ser justificado, injustificado ou emocional. O primeiro, como o próprio nome diz, é quando a empresa está ciente da ausência e pode ocorrer em casos de consultas, doenças ou licenças, por exemplo.

O injustificado é sobre atrasos ou faltas imprevisíveis, em que o colaborador não avisa antecipadamente sobre tal situação. Por fim, o mais difícil de ser identificado. O absenteísmo emocional se trata de quando o colaborador está fisicamente no trabalho, mas não emocionalmente e nem rendendo o quanto deveria ou é capaz, apenas cumprindo seus horários.

Quais as causas do absenteísmo?

O absenteísmo pode ser causado por diversos motivos, desde doenças, causas legais, problemas pessoais, entre outros. Quando as faltas ou atrasos acontecem por situações como essa, é provável que rapidamente o funcionário volte ao seu posto normal.

Porém, um grande perigo é quando o absenteísmo é causado por problemas organizacionais ou emocionais. Nesses casos, é possível que ele seja causado por climas organizacionais negativos, constrangimento no ambiente de trabalho, lideranças ineficazes, assédio, problemas entre pessoas do mesmo grupo, entre outros.

É justamente daí que vem o grande desafio para as empresas, que precisa identificar o que está causando tais faltas ou atrasos, afinal, esse indicador anda próximo ao turnover. Quanto mais insatisfeito e desmotivado está o funcionário, maiores suas chances de deixarem seus postos, causando outras consequências negativas.

Como calcular absenteísmo?

É importante que o RH das empresas tenha controle sobre horários, faltas e justificativas dos colaboradores em casos de ausência. Seja por cartões de ponto ou soluções automatizadas, é importante registrar para que esses números estejam disponíveis para que a empresa use de forma estratégica.

É interessante que essa métrica seja calculada mensalmente para entender suas alterações e para acompanhar como a falta de funcionários pode refletir nos objetivos de negócio.

Para fazer o cálculo dessa taxa existe um indicador básico considerando o número de colaboradores e dias/horas de trabalhos perdidos.

Para o cálculo, deve se multiplicar o número de colaboradores pelo número de horas e dias na jornada e somar todos os atrasos e faltas para encontrar as horas perdidas. Por fim, basta dividir o número de horas perdidas pelo número de horas de trabalho.

Pode parecer confuso, então vamos entender juntos: suponha que uma empresa vai calcular o absenteísmo de uma empresa com 200 pessoas, que trabalham por 8 horas semanas, 22 dias no mês. O cálculo seria: 200 (do número de funcionários) x 8 horas x 22 dias = 35.200 horas/mês. Imagine que nesse mês analisado houve 210 horas perdidas de trabalho no controle de ponto, seja por atraso ou faltas. Sendo assim, 210 / 35.200 x 100 = 0,59% de absenteísmo no mês calculado.

É preciso analisar esse resultado de acordo com a realidade da empresa, mas sem dúvida, quanto menor esse número, melhor para a empresa.

E, mais do que apenas olhar para o número no geral, é importante entender os motivos de cada colaborador para faltas e atrasos para que sejam realizadas ações específicas para resolver tais questões.

O absenteísmo é um grande alerta para as empresas pois, em diversos casos, revela problemas estruturais, culturais ou organizacionais.

Como sua empresa lida com absenteísmo? Existem muitas faltas e atrasos em seu cenário? Aproveite que agora você sabe mais sobre o tema e trace ações para reduzir esses números!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo