5 dicas para montar o currículo perfeito

Os tempos mudaram e, com isso, fez-se necessário também alterar as estruturas e a forma de trabalhar de uma série de companhias. O RH 4.0, também chamado de RH tecnológico, foi criado para estar em dia com as transformações da tecnologia e com as novas demandas do mercado.

Uma vez que estão inseridos na nova realidade, os trabalhadores precisam também estar em dia com as novidades de sua área de atuação – e não só. Hoje, é esperado que os candidatos ofereçam, além de um currículo com boas referências, alguns “detalhes” a mais.

Foto: Shutterstock

Quem não se atenta a isso pode correr o risco de ficar para trás (e, com isso, perder grandes oportunidades de crescer profissionalmente). Se você está em busca de um novo emprego, saiba que o currículo, mesmo em tempos modernos, ainda é a sua porta de entrada para a empresa dos seus sonhos.

A seguir, confira 5 dicas que podem ajudá-lo a montar o currículo perfeito e, assim, chegar ao topo. Confira!

5 dicas para montar um currículo matador

A primeira dica é: personalize o seu currículo a cada nova oportunidade. É ótimo ter uma versão pronta do seu CV, mas você não deve ignorar a especificidade da vaga para a qual você deseja concorrer. Quais são as exigências do posto? Quais pontos do seu currículo podem lhe trazer mais vantagem?

Escreva um pequeno texto, de até cinco linhas, sobre o que você deseja alcançar na nova empresa, sobre como pode colaborar para o crescimento dela e para o fortalecimento das equipes, etc. Seja sucinto e cuidado com a gramática: um texto mal escrito pode ser enviado direto para a lixeira.

A formatação dos dados importa – e muito

No topo do currículo, não se esqueça de colocar nome, telefone e e-mail. Há quem coloque também o endereço, mas muitas empresas têm preferido que o candidato não faça isso, uma vez que se trata de um dado sensível. As fotos 3×4 caíram em desuso, então não se preocupe em colocá-las.

Use fontes sólidas, como Arial e Times New Roman, em numeração 12, e faça uso moderado do negrito e do itálico.

Não utilize cores vivas no corpo do texto, a menos que tenha uma razão muito forte para tal – por exemplo, se você é designer e quer enviar material para uma startup moderna, pode criar um currículo que abuse da gamificação, tenha cores diferentes e tabelas, etc.

Reforce as suas qualidades sem soar arrogante

Fazer listas sobre as suas qualidades pode jogar contra você. Por mais que o RH queira saber sobre pontos fortes, é melhor relacionar a sua experiência de trabalho com os seus hard skills e soft skills do que criar um texto sobre como você é um incrível digitador ou sobre como os professores gostavam de você.

Parece um exagero falar assim, mas acredite: há quem confunda o currículo com um espaço onde é permitido falar sobre você e sobre as suas conquistas de forma demasiadamente pessoal. Evite essa gafe e permaneça profissional, direto ao ponto e, aos olhos do RH, altamente qualificado e humilde.

Fale sobre experiências profissionais relevantes

Não é preciso colocar todas as experiências profissionais que você já teve no seu currículo. É obrigatório colocar informações sobre faculdade, cursos de extensão e pós-graduação, cursos técnicos, idiomas e afins, mas você não precisa listar o seu primeiro emprego caso ele não tenha nenhuma relação com a sua candidatura atual.

Prefira colocar as cinco últimas experiências profissionais, caso elas sejam relevantes, e não esqueça de colocar: datas de entrada e saída, nome da empresa, cargo, projetos. Cases de sucesso podem ser mencionados, especialmente se dialogarem com a nova vaga.

Seja sincero

Se você não tem inglês fluente, não coloque essa informação em seu currículo. Prefira colocar “inglês básico” a mentir. É mais valioso ao RH lidar com uma pessoa que não mente sobre as suas habilidades e que pode ser lapidada do que lidar com as consequências de uma mentira descoberta no futuro.

Isso vale, na verdade, para todas as informações que forem colocadas no documento. Não diga que obteve as notas mais altas da sua sala da faculdade de isto não for verdade: pode ser que peçam para você apresentar o diploma e o conteúdo programático do curso e, em algum momento, vejam a sua colocação.

São exemplos, é claro, mas os utilizamos para reforçar a importância de não exagerar as suas qualidades e aptidões. Coloque-se como alguém disposto a melhorar: isso sempre será bem visto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo