Tufão Vamco deixa 70 mortos nas Filipinas e segue em direção ao Vietnã

O Tufão Vamco, que na quinta-feira (12) atingiu as Filipinas, deixando um rastro de destruição e mortes, atingiu na manhã de hoje (15) o Vietnã e também deixou um rastro de destruição, mortes, feridos e desabrigados.

Nas Filipinas, o tufão causou a morte de 70 pessoas e deixou outras 105 desabrigadas. Várias cidades do país permanecem sem energia elétrica e dezenas de casas desabaram e/ou ficaram seriamente danificadas.

Equipes de resgate socorrem vítimas na província de Thua Thien Hue, no Vietnã, atingida por um tufão na manhã deste domingo (15) – Foto: AFP

Já em território vietnamita, o tufão chegou com ventos de até 90 km/h, arrancado árvores, derrubando postes e outdoors e destelhando casas, escolas e estabelecimentos comerciais.

Meteorologistas informaram que o Tufão Vamco atingiu o litoral do Vietnã com tremenda força, e que provocou inundações e enchentes em várias províncias. Também foi registrado deslizamentos de terra em estradas e rodovias.

Ainda segundo os meteorologistas, este deve ser o último tufão de uma série de tormentas que atingiram o Vietnã nas últimas seis semanas, e que até o momento causou a morte de 159 pessoas e deixou outras 70 desaparecidas.

O número oficial de desabrigados ainda é incerto, mas as autoridades locais estimam em centenas de pessoas.

A Federação Internacional da Cruz Vermelha e o Crescente Vermelho informaram que 650 mil pessoas de sete províncias costeiras do Vietnã tiveram que ser transferidas hoje para regiões mais altas, devido ao alto risco de deslizamentos de terra e inundações.

Na cidade de Hoi An, localizada no litoral do Vietnã, as fortes rajadas de vento destruíram ou danificaram dezenas de estabelecimentos comerciais. A região possui vários restaurantes e é considerada pela Organização das Nações Unidas (ONU) como um dos patrimônios culturais do país. Ela encontra-se na lista de Patrimônio Mundial da Unesco.

A Defesa Civil do Vietnã informou agora a pouco que o tufão destruiu cerca de 400 casas em todo o país. Os moradores estão sendo socorridos e levados para abrigos públicos.

Com informações das Agências France Presse e Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo