Obesidade é principal fator de risco para desenvolver diabetes

Dia 14 de novembro é dedicado à sensibilização sobre a doença

Campo Grande (MS) – No Brasil, a população adulta considerada obesa chegou a 26,8% em 2019, índice que dobrou nos últimos 17 anos. Já pessoas com excesso de peso corresponderam a 61,7%, quase dois terços dos brasileiros. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e revelam o avanço da obesidade no país, um dos fatores de risco mais agravantes para o desenvolvimento da diabetes tipo 2. Celebrado neste sábado, 14, o Dia Mundial da Diabetes é dedicado a conscientizar a população sobre as formas de prevenção e tratamento da doença.

Foto: Divulgação

A diabetes é uma doença que atingiu proporções epidêmicas nas últimas décadas em todo o mundo e segue avançando de forma desenfreada e preocupante“, destaca Walter Rodrigues Junior, médico endocrinologista e professor do curso de Medicina da Uniderp. Em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, o índice de pessoas com diabetes pode chegar a 12,3% da população, de acordo com uma pesquisa publicada em 2014 pelo professor na sua tese de doutorado.

O levantamento apontou que dos indivíduos com diabetes, pelo menos 25% não sabiam que estavam doentes, sendo ainda encontrada uma predominância de pessoas com excesso de peso e obesidade. Segundo o especialista, a pesquisa que revelou os dados de prevalência da diabetes em Campo Grande foi a última a ser realizada no município e analisou homens e mulheres, com idade entre 30 e 69 anos, residentes na área urbana.

O professor explica as razões da obesidade ser o principal fator de risco para desenvolvimento da diabetes tipo 2. “É uma condição que leva à resistência à insulina e predispõe à hiperglicemia, sobretudo quando o acúmulo de gordura é predominantemente na região abdominal. Outros fatores que contribuem consideravelmente para a atual epidemia de diabetes são o envelhecimento, o sedentarismo, o consumo de bebida alcoólicas e a presença da doença em familiar de primeiro grau“.

Sem tratamento adequado e permanente, a diabetes pode trazer complicações para o organismo. “Ao longo dos anos, pode afetar vários órgãos, acarretar cegueira, acidente vascular encefálico, infarto agudo do miocárdio, insuficiência renal, neuropatia e amputação de membros. As complicações ocorrem principalmente naqueles indivíduos que não têm aderência ao tratamento e mantêm mau controle glicêmico ao longo dos anos“, completa.

Como forma prevenção, o especialista recomenda a adoção de um estilo de vida saudável. “Uma alimentação que contenha todos os nutrientes necessários ao organismo, em quantidade, qualidade e distribuição adequada ao longo do dia, é fundamental para a preservação do equilíbrio do corpo humano e a prevenção contra o diabetes, controle de colesterol e obesidade. A prática regular de atividade física exercida por pelo menos trinta minutos diários, cinco dias na semana, também contribui de forma considerável para a manutenção adequada dos níveis glicêmicos”, aconselha o especialista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo