Por que a traição feminina segue sendo tabu?

É preciso entender o que leva mulheres a ir em busca de outros tipos de relacionamento para acabar com o preconceito e julgamentos

Nosso mundo ainda é machista e, mesmo que, em muitos aspectos, as mulheres tenham ganhado espaço (sem esquecer de importantes batalhas que ainda não ganharam), existem outros campos em que suas necessidades, prazeres e desejos seguem sendo enterrados e escondidos, considerados tabu. Um desses temas é justamente a infidelidade feminina.

Foto: Divulgação

Em uma sociedade em que, quando se trata de infidelidade, o homem é perdoado e a mulher condenada, uma pesquisa* feita com usuários do Gleeden, site de encontros extraconjugais, mostrou que 27% das mulheres decidiram entrar na plataforma em busca de carinho e compreensão ou para se sentirem desejadas (30%). Com isso, você deve estar se perguntando: mas por que buscar atenção e carinho fora do relacionamento? Bem, basicamente porque a maioria das usuárias não os recebe dos parceiros, que estão acomodados com a situação e acabam deixando o tempo passar. Os relacionamentos acabam esfriando, o que leva algumas pessoas a se sentirem desconfortáveis e partir em busca de novas aventuras, sem deixar de amar e respeitar quem está, diariamente, ao lado delas.

E engana-se quem pensa que a decisão por ingressar em uma plataforma de encontros extraconjugais seja fácil. Dos usuários ouvidos pela pesquisa, 86% disse ter tido muitas dúvidas e reservas antes de dar o primeiro passo. O medo de perder a família foi o principal relato, chegando a 40%. Os preconceitos morais vêm logo em seguida, com 33% das mulheres que usam o Gleeden. Isso quer dizer que o medo de ser mal vista, como promíscua, é algo muito presente na sociedade, em especial para as mulheres.

Por isso é que ter uma plataforma feita por mulheres e para mulheres passou a ser o principal objetivo do Gleeden. Assim, um ambiente onde elas podem se sentir seguras, livres e respeitadas foi criado, para quebrar o estigma de que apenas homens têm o direito de ser infieis durante uma relação e de que mulheres que traem merecem menos respeito do que homens, por exemplo.

Embora boa parte das mulheres acredite que a sociedade evoluiu nesse sentido, a parcela de quem ainda acredita que a infidelidade feminina é o grande tabu do século é considerável. Trabalhar de forma honesta e ofertando mais segurança é primordial. Dessa forma, conseguiremos, pouco a pouco, diminuir as diferenças entre homens e mulheres e garantir que todos possam ser livres sem sofrer preconceitos e julgamentos.

*Pesquisa realizada com 14.132 usuárias do Gleeden

 

**Silvia Rubies, diretora de Comunicação e Marketing do Gleeden na América Latina e na Espanha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo