“É preciso dar um basta à violência contra a criança no Brasil”, reforça ministra em condecoração no RS

Em viagem oficial a Porto Alegre (RS), a titular do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) recebeu, nesta segunda-feira (26), a medalha da 55ª legislatura da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul (ALRS). A condecoração é um reconhecimento do trabalho realizado em prol da proteção das crianças no país. “É preciso dar um basta à violência contra a criança no Brasil”, afirmou a ministra Damares Alves durante a cerimônia. Assista ao vídeo.

Foto: Divulgação

Emocionada, a ministra lembrou que o crime organizado é responsável pelo desaparecimento de milhares de crianças. E salientou que uma estratégia está sendo traçada para combater essa prática delituosa.

“A Lei das Crianças Desaparecidas será lançada como política nacional nos próximos dias pelo Governo Federal. Vamos combater e enfrentar com rigor o crime organizado que responde pelo desaparecimento de 9 mil a 11 mil crianças que depois de sumir não são mais encontradas”, afirmou.

Damares aproveitou a ocasião ainda para anunciar em primeira mão o lançamento de um aplicativo em parceria com o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) para localizar crianças que estão sendo procuradas e notificar as autoridades.

“Quando uma criança desaparecer, imediatamente todos no bairro, na comunidade, na cidade, vão saber que ela desapareceu e todos os policiais vão receber informações com o nome, a foto e o local onde aquela criança desapareceu. É dessa forma que a gente vem trabalhando”, explicou.

Ao responder sobre o que as pessoas devem fazer quando souber de casos de violência contra crianças, a ministra foi objetiva: “denunciar”.

“Nós temos o Disque 100, que está em forma de aplicativo, pelo telegram e que agora também poderá ser acionado por whatsapp. Vamos denunciar. Essa é a primeira coisa que todos temos que fazer”, reforçou Damares.
Agenda
A comitiva do MMFDH foi a Porto Alegre (RS) conferir a demonstração de um sistema de reconhecimento facial que poderá ser usado na identificação e localização de crianças desaparecidas em todo o país. Além da titular do MMFDH, integram o grupo o secretário nacional de proteção global, Alexandre Magno, o secretário nacional dos direitos da criança e do adolescente, Maurício Cunha, e a coordenadora-geral do Sistema Integrado de Atendimento às Mulheres em Situação de Violência, Vanessa Vilela Berbel, que representa a Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos (ONDH).

Além de conhecer o sistema de reconhecimento facial, a agenda inclui uma reunião na sede da Procuradoria-Geral de Justiça do estado, com o procurador-geral Fabiano Dallazen, e com a promotora de justiça e coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Infância, Juventude, Educação, Família e Sucessões, Denise Casanova Villela.

Antes de retornar a Brasília (DF), a comitiva terá uma reunião com o governador do RS, Eduardo Leite, no Palácio Piratini.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo