Candidatas às Eleições 2020 recebem dicas em oficina sobre comunicação efetiva na campanha eleitoral

Autoconhecimento, comunicação interpessoal e utilização de redes sociais como ferramentas de campanha eleitoral foram alguns dos temas abordados na quinta oficina do projeto Mais Mulheres na Política, realizada nessa quinta-feira (15). Futuras vereadoras e prefeitas de todo o país receberam dicas e orientações para garantir a efetividade da comunicação.

A oficina ministrada no formato de perguntas e respostas foi conduzida pela secretária nacional de políticas para as mulheres, Cristiane Britto. Ela e a especialista em comunicação eleitoral, Luciana Panke, esclareceram as dúvidas das participantes.

Durante a transmissão pelas redes sociais do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), Britto afirmou que a construção da imagem positiva das candidatas para o eleitorado é extremamente importante na campanha eleitoral.

Nosso objetivo é auxiliar candidatas e equipes durante a campanha eleitoral para conseguirmos colocar pelo menos uma vereadora em cada Câmara Municipal do país. Conhecimento é poder e é isso que proporcionamos com essas oficinas e com outras ações do projeto Mais Mulheres na Política“, afirmou a secretária durante o bate-papo.

Já a especialista convidada acrescentou que só o fato de ser mulher já representa um diferencial na imagem da candidata durante a campanha eleitoral. “Ser mulher é um primeiro diferencial nesse momento da sociedade. A política é um universo masculino que está em mudança. No decorrer dos últimos anos, vimos mais ações para promover a mulher nessa área“, disse Luciana Panke.

Além disso, Panke destacou que as candidatas devem observar a pauta que defendem e orientou que as concorrentes a um cargo público nas Eleições de 2020 façam uma análise para conhecer suas qualidades, pontos fracos, fortes, oportunidades e dificuldades. A ideia, segundo ela, é reconhecer quem cada uma é, a própria história, o partido pelo qual concorre, o tipo de financiamento que possui e as redes de apoio com que contam.

Panke ressaltou ainda a necessidade de uma boa comunicação interpessoal com o eleitorado. “Tem que conversar com os eleitores, fazer uma saudação, chamar a pessoa pelo nome. Essa comunicação é importante porque aproxima das pessoas. Um cargo público é um serviço público, é trabalhar para outras pessoas, para fazer o município melhor. É preciso ouvir as pessoas e saber o que querem“, afirmou ao lembrar que não adianta ter uma boa rede social e não ser empático com o público.

Rede social

A especialista em comunicação eleitoral reforçou que as redes sociais ganharam ainda mais protagonismo neste ano, com as medidas sanitárias impostas em razão da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). “Faça postagens com suas propostas e com o seu dia a dia. Coloque ativadores como ‘comente aqui’ e ‘deixe sua ideia’ nas publicações. Convide pessoas que te apoiam nas redes e fora delas. Esse é o momento de se expor“, aconselhou.

Para finalizar, ela sugeriu às candidatas que realizem eventos on-line, reuniões abertas ou com grupos fechados, por temática, e lives nas redes sociais. “Esteja sempre disponível para conversar com o eleitorado. Usem esses recursos“, frisou.

Comunidades distantes

Em localidades em que tanto as candidatas quanto a população possuem menos acesso à internet, a especialista destacou a necessidade de realizar os cuidados sanitários. “Campanha é perna, é ir para a rua e visitar pessoas. No entanto, é preciso ter o cuidado para não visitar pessoas de grupos de risco. Isso é questão de responsabilidade“, alertou Panke.

A especialista indicou a realização de visitas presenciais em grupos pequenos e a utilização das rádios locais. “O rádio chega a todo canto. Se ofereça para entrevistas e para a realização de debates. Vá atrás desse recurso, principalmente, no interior“, ressaltou.

Currículo da convidada

Além de especialista em comunicação eleitoral, Luciana Panke é coordenadora da graduação de Publicidade e Propaganda da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Ela possui pós-doutorado em Comunicação Política, doutorado em Ciências da Comunicação e foi premiada nos Estados Unidos (EUA) como uma das mulheres mais influentes na Comunicação Política.

O projeto

Transmitidas ao vivo, semanalmente, às 19h, as oficinas Mais Mulheres na Política foram estruturadas para esclarecer as principais dúvidas sobre Campanha Eleitoral, de forma interativa. A cada semana, um especialista é convidado para falar de um tema específico e bater papo com as participantes.

Mais Mulheres no Poder

Instituído por meio de portaria, o projeto Mais Mulheres no Poder é uma estratégia de conscientização sobre a participação política das mulheres em cargos eletivos, de poder e de decisão para o pleno exercício da democracia representativa e participativa.

O projeto tem como foco neste primeiro ano a plataforma “Mais Mulheres na Política”, em alusão às Eleições de 2020. A missão do Governo Federal é atuar para estimular a participação das mulheres na política e, assim, provocar um grande movimento para que seja eleita ao menos uma vereadora em cada um dos quase 5.700 municípios brasileiros. Saiba mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo