Ao doar livro sobre a origem do bairro Cabreúva, padre fala sobre centenário da visita de Dom Aquino a Campo Grande

Campo Grande (MS) – O padre e escritor salesiano Tiago Figueiró esteve no último dia 13, na Biblioteca Isaías Paim da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS), para doar um exemplar de Cabreúva: de segredo à Prosa, a família de João Pereira Mendes Figueiró nas raízes de Mato Grosso do Sul, escrito com seu irmão Ricardo Maria Figueiró. Ele aproveitou a ocasião para falar de seu novo projeto de pesquisa acerca do centenário da visita a Campo Grande, do então governador de Mato Grosso, o arcebispo Dom Aquino.

 

Segundo ele, a história cultural do nosso povo é primordial para o conhecimento de fatos acontecidos na cidade, como a origem dos nomes de alguns bairros e o papel de personagens importantes para a criação do Estado de Mato Grosso do Sul. “Pesquisando a história, descobrimos a origem de muitas coisas como, por exemplo, a doação de Joaquim de Souza Moreira, de sua grande fazenda Cabreúva que é hoje, um dos mais antigos bairros de Campo Grande”, declarou.

Já sobre Dom Aquino, Figueiró destacou sua importância ao elevar a antiga vila do Arraial de Santo Antônio de Campo Grande à categoria de município por seu decreto, em 1918. O próprio Dom Aquino viria conhecer a futura capital de Mato Grosso do Sul na ocasião de suas viagens pacificadoras pelas cidades do sul do Estado, numa época em que a disputa por terras e os conflitos trazidos com a crescente urbanização advindos pela linha férrea, imperava com emboscadas e assassinatos. “Então o primeiro equilíbrio, que deu uma certa trégua aqui no Estado, foi com a visita de Dom Aquino. ”, afirma o padre.

As pesquisas realizadas por Figueiró deverão compor um livro sobre o centenário da vista de Dom Aquino em terras que, cerca de cinquenta anos depois, pertenceriam ao novo Estado de Mato Grosso do Sul. “De passagem, em suas, vistas pelas terras daqui, Dom Aquino deu o primeiro passo para o progresso de Campo Grande, concedendo a ela o status de município”, reflete o padre que já conta com o apoio de nove instituições para o projeto além da Fundação de Cultura de MS e a Academia Sul-Mato-Grossense de Letras.

Fotos extraídas do livro: Campo Grande O Homem e a Terra de Lélia Rita E. de Figueiredo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo