A mídia social não pode ser um site institucional. Especialista explica as razões disso

Midia social ou site institucional? Qual o melhor caminho para apresentar seu perfil profissional? O especialista em criação de conteúdo, Bendev Júnior, mostra que a mídia social não é o melhor lugar para expor a vida profissional e como um site institucional pode ser uma ótima forma de apresentar o currículo.

Bendev Júnior – Foto: Divulgação / MF Press Global

As redes sociais vieram para ficar. Dos últimos anos para cá, várias plataformas foram criadas, sendo que cada uma possui suas particularidades. Exemplo disso são aquelas que focam em textos, imagens, músicas, mensagens curtas, etc. Independente do perfil da rede social, o fato é que elas não devem ser usadas para criar sites institucionais, alerta o especialista em criação de conteúdo e webdesigner, Bendev Júnior.

“Se você analisar hoje cada rede social tem a sua segmentação, e os sites acaba englobando todas essas redes em si. Quando pensamos que a pessoa precisa de um espaço para mais informações sobre sua empresa, esse conteúdo precisa vir num site próprio”, ele conta. Bendev cita como a exemplo a ideia de criação de um curso de violão: “Suponhamos que esta empresa deseja fazer o intercâmbio entre professores e alunos. Se eu tenho apenas o perfil no Instagram, eu vou conseguir ter um público sim. Mas se estas pessoas desejarem saber mais sobre a empresa, onde ela atua, custos, dentre outras coisas. Além disso, no Instagram pode ser que você encontre algumas informações interessantes, mas fica muito chato para o usuário procurando em todos os storys, sendo um por um, até achar aquele com a informação que ele está procurando”. Para isso, ele orienta que “em um site é possível englobar todo o conteúdo facilitando o acesso. Ficando fácil encontrar todas as informações sem que tenha que revirar as redes atrás delas”, completa.

Outro fato também que prevalece a criação do site é a busca em mecanismos de pesquisas como o próprio Google: “Digamos que se você colocar para buscar a empresa X, pode até achar a rede social dela, mas se você criar o site, certamente a primeira opção que aparecer no resultado da busca já é o site daquela empresa. Além disso, o site próprio vai ter a personalidade do cliente, seus gostos, cores, estilo, enquanto nas plataformas o conteúdo será gerado de acordo com o padrão daquela rede social apenas”, analisa.

Com isso, ainda que as redes sociais sejam fácies para administrar e criar conteúdo, “a exclusividade é o caminho para quem deseja se destacar na internet”, completa Bendev Júnior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo