Você sabe o que é um sneakerhead?

Prática que começou nos EUA se espalhou para outras partes do mundo

Você sabe o que é um sneakers love? Esse é um termo cada vez mais comum, especialmente entre os mais jovens. São pessoas que veneram seus tênis, que compartilham seus modelos novos, acumulam pares e gastam horrores adquirindo itens raros em lojas e feiras entre colecionadores. Esses amantes dos tênis também podem ser chamados de sneakerhead.

Foto: Divulgação

Mas não é uma cultura que começou agora. A ascensão do basquete e do hip-hop na década de 1980 fomentaram um movimento da cultura do tênis. A linha de tênis de basquete Nike de Michael Jordan – Air Jordan – foram os primeiros tênis muito cobiçados pelos colecionadores.

A partir daí, essa cultura se espalhou por toda parte, em todas as camadas sociais. De tênis esportivos ao Nike Air Zoom Alphafly Next, os tênis evoluíram para um grande elemento da moda mundial.

É bem provável que você tenha encontrado alguém que se autodenomina um sneakerhead ou alguém que coleciona, comercializa ou admira tênis como hobby. Além disso, a prática rompeu fronteiras e deixou de ser algo localizado estritamente nos Estados Unidos.

Os sneakerheads não são apenas colecionadores, mas também empreendedores. Incontáveis colecionadores têm ganhado a vida com suas obsessões por tênis abrindo suas próprias lojas de varejo, contas no YouTube ou outros serviços. Um dos pioneiros da comunidade empreendedora sneakerhead, Benjamin Kickz, começou a revender tênis para celebridades com apenas 15 anos de idade.

Muitos sneakerheads seguiram o mesmo caminho e estão vendendo seus tênis online ou em grandes convenções. Marcas como Nike, Adidas, Converse, Puma, Vans, New Balance, Reebok e Under Armour têm uma presença massiva no jogo de revenda.

Atualmente, os tênis mais caros são aqueles que carregam algum tipo de exclusividade. Esses objetos são feitos em parcerias entre marcas de tênis, como Adidas, Nike, Jordan e Puma, com marcas de roupa ou artistas musicais, geralmente ligados ao hip hop.

Outra prática que atravessou gerações e ainda mobiliza a cabeça dos jovens é a estilização dos tênis. Nem todos os garotos têm dinheiro suficiente para comprar um tênis de R$ 3.000. A saída, então, é personalizar o calçado com tintas, cadarços coloridos e outras práticas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo