UEMS tem projetos contratos pelo Centelha MS

As duas ideias inovadoras concorreram com mais de 564 propostas

A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) tem dois representantes entre as 30 ideias melhores avaliadas no Projeto Centelha MS. Os finalistas foram contratados essa semana e cada empresa inovadora receberá até 60 mil reais em subvenção econômica para transformar sua ideia inovadora em um negócio de sucesso.

Os projetos: “Automação Agrícola para Agricultura Familiar e Pequenas Propriedades”, coordenado pelo acadêmico de Engenharia Física da UEMS/Dourados, Ricardo Rocha da Costa, e “Vinhos e vinagres: Agroecologia-Sustentabilidade-Recuperação Ambiental” coordenado pela Dra. Vanessa Mallmann (egressa do PGRN/UEMS), foram os contratados pelo Centelha MS e possuem ligação com a Universidade Estadual.

Alunos do curso de Engenharia Física da UEMS/Dourados na primeira fase do Centelha MS. – Foto: Arquivo UEMS

Cerimônia de Contratação

A Cerimônia de Contratação dos Empreendedores Aprovados pelo Programa Centelha MS foi no dia primeiro de setembro, totalmente on-line. Participaram do Evento o diretor-presidente da Fundect, Márcio Pereira, o secretário de estado da SEMAGRO, Jaime Verruck; o magnífico reitor da UFMS, Marcelo Turine, o magnífico reitor da UEMS, Laércio de Carvalho, o presidente do conselho superior da Fundect, Ricardo Senna, a gestora do Programa Centelha em MS, Edna Scremin Dias; o diretor de desenvolvimento científico e tecnológico da Finep, Marcelo Bortolini, o analista de pesquisas da Finep, Vitor Kapel; o diretor do centro de empreendedorismo inovador da Fundação Certi, Leandro Carioni, a proprietária da empresa sul-mato-grossense Angi Chocolates, Beatriz Branco; além de todos os contemplados pelo Programa Centelha em Mato Grosso do Sul.

O diretor-presidente da Fundect, Márcio Pereira, deu as boas-vindas a todos os participantes e já adiantou que Mato Grosso do Sul já está confirmado na segunda edição do Programa Centelha, que teve seu lançamento oficial nesta segunda-feira (31).

“O Centelha em Mato Grosso do Sul é sucesso absoluto, e claro que não poderíamos ficar de fora de sua segunda edição. Fundect, Semagro e Governo do Estado de Mato Grosso do Sul já estão trabalhando arduamente para garantir um aporte ainda maior de recursos para esta edição do Programa”, afirmou o presidente.

O Secretário de Estado Jaime Verruck ressaltou a importância da implantação do Centelha, mesmo em tempos tão conturbados quanto estes que estamos vivenciando.

Viviane durante os anos de mestrado e doutorado no PGRN/UEMS. – Foto: Arquivo Pessoal

“A Pandemia do novo Coronavírus obrigou-nos a pensar fora da caixa, e estar aqui hoje participando da liberação destes recursos para o fomento de negócios inovadores é extremamente gratificante. Mesmo com tantas dificuldades, Mato Grosso do Sul está investindo em inovação, em negócios inteligentes, em ações que trarão desenvolvimento, emprego e renda para nossa gente”, disse.

Para o diretor de desenvolvimento científico e tecnológico da Finep, Marcelo Bortolini, Mato Grosso do Sul e suas instituições gestoras foram um grande exemplo para os demais Estados quanto a sua adesão ao Programa.

“Desde o início ficou claro o comprometimento de toda a equipe da Fundect em levar esse projeto adiante e transformá-lo no sucesso que é. Agradeço ao Márcio, a professora Edna que não mediram esforços junto com sua equipe, enfim, a todos aqueles que nos ajudaram a identificar ideias inovadoras e a partir de agora transformá-las em negócios de sucesso”, finaliza. (Com informações da Assessoria da Semagro e Fundect)

Automação Agrícola para Agricultura Familiar e Pequenas Propriedades (Internet das Coisas)

O Projeto “Automação Agrícola para Agricultura Familiar e Pequenas Propriedades” foi desenvolvida pelo acadêmico Ricardo em colaboração com os acadêmicos João Aparecido Machado Junior, também de Engenharia Física da UEMS/Dourados, e Muhammad Yasin Minozzo Candia, acadêmico Agronomia na UFGD.

O projeto ainda conta com o apoio da acadêmica de Engenharia Física da UEMS, Ana Carolina Morais de Souza, do Professor de Engenharia Física da UEMS, Nélison Ferreira Corrêa; e do agrônomo Márion Henry Ribeiro Dantas.

A trajetória do Projeto inscrito na temática de “Internet das Coisas” (IoT) no Centelha MS começou em outubro de 2019, quando os acadêmicos receberam a notícia de que estavam na primeira fase e em fevereiro de 2020 foram informados que conseguiram uma vaga na última etapa. Um dos objetivos do projeto é tornar a agricultura familiar mais competitiva com menos desgaste para o meio ambiente.

“ Ao longo da participação no Projeto Centelha MS, nós tivemos que elaborar o cronograma do projeto, orçamento, um panorama do mercado em que você vai abrir sua empresa e a abertura da empresa também com toda parte burocrática. Aprendemos bastante! Todo esse processo proporcionou um aprendizado, que sem o Centelha nós não iriamos adquirir. Agradecemos muito, todos os envolvidos, que participaram do desenvolvimento do nosso projeto e nos ajudaram muito, colegas e professores! ”, conta o acadêmico Ricardo.

Vinhos e vinagres produzidos no projeto Agroecologia/Sustentabilidade/Recuperação Ambiental. – Foto: Arquivo Pessoal

Vinhos e vinagres: Agroecologia-Sustentabilidade-Recuperação Ambiental (Tecnologia Social)

O Projeto “Vinhos e vinagres: Agroecologia-Sustentabilidade-Recuperação Ambiental” é coordenado pela doutora, Viviane Mallmann, que finalizou em fevereiro de 2020 o Doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Recursos Naturais (PGRN) da UEMS/Dourados. Viviane ainda estava no programa quando foi aprovada nas fases iniciais do Centelha MS. O orientador de mestrado e doutorado de Viviane, Profº Dr. Rogério Cesar de Lara da Silva, do PGRN faz parte da equipe, assim como o doutorando do PGRN e esposo de Viviane, Lucas Wagner.

“ Fomos selecionados no Centelha MS durante meu doutorado. Minha pesquisa do doutorado foi com atividade antifúngica, antibacteriana, avaliação do potencial tóxico de plantas, não está correlacionada diretamente com a proposta do Centelha. Mas parte da pesquisa do doutorado contribuiu para compreensão do comportamento dos processos fermentativos que usamos para criar nossos produtos com o qual fomos selecionados no programa Centelha. No doutorado tive oportunidade de realizar disciplinas e estudar conceitos que aplicamos em nosso projeto prático de produção de vinhos e vinagres com frutos do Cerrado em área de recuperação ambiental. ”, explica Viviane.

O projeto contrato pelo Centelha surgiu para agregar valor aos vinhos e vinagres produzidos a partir dos frutos colhidos nas áreas de recuperação de Cerrado no sítio “Agrorecanto Mya Terra”, localizado no assentamento Nazareth, Sidrolândia-MS. Na propriedade, Viviane está usando as técnicas da agroecologia para implantar um sistema agroflorestal (SAF).

A produção começou com sucos e sorvetes e depois vieram os produtos fermentados como vinhos e vinagres, que levam microrganismos fermentadores do próprio ambiente. O processo levou aproximadamente um ano e oito meses, entre a captura, seleção e cultivo, conta Viviane. Dentre os frutos utilizados estão: guavira, uvaia, cajuzinho, mamica de cadela, embaúba, marolo gigante, marmelo e Hibiscus sabdariffa, dentre outros.

” O grande diferencial de nosso produto é que são realizados com frutos frescos, nativos e diversos, garantindo diversidade e variedade de produto durante o ano todo, além de possuírem potencial medicinal, nutritivo, variedade de vitaminase sabotes singulares o que atrai o público que o compra.  Todo processo conta com mão de obra familiar e é um produto artesanal. Com a parceria do Centelha-MS, buscaremos melhorar e ampliar nossa produção “, comemora Viviane.

Sobre o Centelha MS

O projeto Centelha MS é da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect) órgão vinculado à Semagro, em parceria com a Finep e Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação. O objetivo é selecionar ideias inovadoras de startups e empresas iniciantes no Estado. Participaram da seleção, novos empreendedores de 34 municípios de Mato Grosso do Sul, tendo 564 propostas cadastradas para avaliação. Conheça mais sobre o Projeto Centelha, a Fundect e a Semagro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo