SRCG solicita pavimentação da MS-245

O Sindicato Rural de Campo Grande, Rochedo e Corguinho (SRCG) encaminhou na primeira semana de agosto um ofício ao deputado estadual Márcio Fernandes (MDB) com o pedido de pavimentação da MS-245. A demanda foi levantada por produtores rurais associados ao Sindicato e membros da Associação dos Produtores da Estrada Sete Placas (Apesp), representados pelos produtores rurais Paulo Menta e Alexandre Figueiredo.

Foto: Divulgação

O trecho que os produtores pedem pavimentação corresponde a cerca de 75 quilômetros, ligando a BR-163 até a MS-338. “A MS-245 é a única rodovia que alimenta uma enorme região de 400 mil hectares, que compreende os municípios de Jaraguari, Bandeirantes, Ribas do Rio Pardo e Camapuã. É por ela que se escoa a produção agropecuária: soja, milho, madeira, carne, leite, além das usinas elétricas”, justifica Paulo Menta.

Segundo ele, já existem 80 mil hectares de lavouras na região, além de uma área degradada ou em processo de transformação para lavoura. Ele ainda confirma que o potencial de crescimento na produção local é de 500%, ou seja, a produção ali pode avançar cinco vezes mais.

A região também é reconhecida pela geração de empregos. São cerca de 120 propriedades, que geram 1.200 empregos diretos, número que dobra em período de safra chegando a 3 mil empregos indiretos.

“Por conta dessa produção pujante e pelo potencial da região que no entroncamento da BR-163 e MS-245 se instalaram enormes armazéns da cooperativa Lar e da Cerrado Insumos Agrícolas”, aponta Paulo ao sinalizar que quanto mais ágil acontecer a pavimentação naquela região, mais ágil se tornará a economia local.

O presidente do SRCG, Alessandro Coelho, encaminhou ofício ao deputado Marcio Fernandes, que se demonstrou interessado em levar a demanda ao plenário. “Realmente se trata de uma região que merece atenção especial, levando em consideração o empenho dos trabalhadores rurais, as tecnologias envolvidas e as perdas estimuladas pela falta da pavimentação. Vamos acompanhar de perto e torcer para que o poder legislativo de MS possa contribuir de forma imediata”, destacou o presidente do Sindicato Rural de Campo Grande.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo