Para enfrentar crise, indústrias adotam biossegurança e remodelam negócio em MS

Empresas do setor lançam produtos e se reorganizam para atender demanda trazida pelo novo coronavírus.

A pandemia de Covid-19 impôs diferentes desafios para os empresários sul-mato-grossenses. Com o apoio do Sebrae/MS, Sesi/MS e Senac/MS, as indústrias estão adotando os protocolos de segurança, garantindo o funcionamento seguro neste período. E para enfrentar a crise, os negócios se adaptaram diante de novas demandas, lançando até produtos no mercado.

Indústrias desenvolvem lava-pés para reforçar biossegurança no local de trabalho – Foto: Sebrae/MS – Divulgação

É o caso das indústrias Alumix Esquadrias Especiais e Portall Alumínio, localizadas em Campo Grande. O núcleo de inovação dos estabelecimentos desenvolveu, inicialmente para uso interno, um “lava-pés” visando reforçar a limpeza dos calçados dos colaboradores, contribuindo para a biossegurança. O recipiente foi feito com sobras de alumínio, e pode receber água sanitária.

Hoje, o produto é comercializado e já foi adquirido por empresas e escolas. “O alumínio gerava uma sobra grande que era descartada, como é um material composto, não dava para reciclar, era também um problema ambiental. O lava-pés é um dos materiais que vieram para a utilização das sobras. Várias pessoas também viram a necessidade e a facilidade de usar isso”, explica o proprietário das duas empresas, Eduardo Henn.

Além de criar produtos, para lidar com a crise, o setor industrial teve que se reorganizar para atender a novas demandas. O exemplo mais visto em todo o mundo é a produção de máscaras. A pandemia trouxe mais necessidades ao mercado, como outros equipamentos de proteção individual (EPI) para profissionais da saúde e de demais áreas.

A RU Uniformes, indústria da Capital, foi uma das primeiras do país a fabricar máscaras de tecido para o mercado segundo a proprietária, Juliana Aranda. O estabelecimento é referência na produção de uniformes para o segmento escolar e precisou remodelar o negócio. Atualmente, além da área da saúde, profissionais de outros setores também têm buscado a empresa para uma proteção a mais.

Estávamos mais fortalecidos no segmento escolar, com a paralisação das aulas presenciais, voltamos às nossas origens. Quando começamos a indústria, atendíamos hospitais. Na pandemia, fomos uma das primeiras a fabricar máscaras, nos reinventamos muito rápido. Os enfermeiros e médicos iam nas nossas lojas de varejo para comprar sapato, roupa, e outros profissionais, como manicures, também compraram jalecos para atender nas casas”, comenta.

Indústria saudável e segura

Para manter as atividades de forma segura na pandemia, as indústrias precisaram se adequar. Por isso, os pequenos negócios do setor industrial têm aderido à consultoria Indústria Saudável, parceria entre Sebrae/MS, Sesi/MS e Senac/MS que orienta sobre protocolos de segurança para rotina de trabalho, adequação e cuidados com as pessoas, seguindo resoluções preconizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A RU Uniformes, Alumix Esquadrias Especiais e Portall Alumínio fizeram a consultoria Indústria Saudável. “Com a pandemia, aumentou a demanda da saúde e não poderíamos deixar de atender, por isso fui atrás das consultorias de protocolos de segurança para cuidar dos funcionários, para continuarmos atendendo”, afirma a proprietária da RU Uniformes, Juliana Aranda.

Ao cumprir os requisitos da consultoria, o empresário recebe uma certificação digital, comprovando para os clientes e colaboradores que é um estabelecimento seguro. A consultoria Indústria Saudável é gratuita para micro e pequenas indústrias de Mato Grosso do Sul. As inscrições são feitas no site do programa Sebrae Orienta: orienta.ms.sebrae.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo