Por que é importante você saber sobre a antecipação do PIX

Banco Central anuncia pagamentos e transferências de forma instantânea, sem restrição de dia ou horário. Conheça o Pix, sistema previsto para ser lançado em novembro.

Hoje em dia, operações eletrônicas de transferência possuem taxas bem elevadas e podem levar dias para “caírem” na conta do receptor, principalmente se o pagamento for feito em conta jurídica.

Mas uma nova forma de fazer transferência e pagamento, está prestes a chegar ao mercado. O Banco Central anunciou que ainda no segundo semestre de 2020 o Pix estará operando para transações instantâneas. Quem mexe com investimentos precisa estar antenado. Por isso, conheça os 11 melhores cursos sobre investimentos.

Foto: Shutterstock

Realizar um TED e DOC são ações rotineiras para muitas pessoas e empresas. Mas que pesam bastante no orçamento devido as altas taxas do mercado. Além disso, tem um pequeno atraso no recebimento, pois a transferência não ocorre de maneira instantânea.

Porém, o Banco Central afirma que esses dois entraves estão com os dias contados. Veja aqui tudo que você precisa saber sobre o Pix e como ele vai ser útil no seu dia a dia. Confira!

O que é o Pix?

O Pix é um meio de pagamento instantâneo proposto e desenvolvido pelo Banco Central do Brasil. O projeto faz parte da Agenda BC#, pauta do Banco Central que visa incluir mais soluções tecnológicas no mercado financeiro.

Então, o Pix é um novo recurso que vai facilitar a transferência entre conta e o pagamento por meio digital.

Os grandes diferenciais são: a disponibilidade, a rapidez e os custos mais baixos.

O Pix ficará disponível 24 horas por dia, 7 dias da semana, em todos os dias do ano, inclusive feriado. Ou seja, sem restrição nenhuma de dias e horários.

A qualquer momento você poder realizar uma operação e no mesmo instante o dinheiro estará na conta de quem irá receber. Sim, isso mesmo! As transações serão realizadas em, no máximo, 10 segundos.

Isso será possível porque o processo ocorrerá sem intermediação. O dinheiro vai sair de uma conta em direção à outra de forma direta.

Para usar o sistema, é preciso apenas que o pagador (quem envia o dinheiro) e o recebedor (quem receberá o pagamento ou transferência) tenham uma conta em alguma instituição financeira. Mas não necessariamente ela precisa ser conta ou da mesma instituição.

Como serão as transações via Pix?

As transações do Pix vão poder ser realizadas poderão ser feitas de três formas diferentes:

  1. Efetivação por QR Code: que pode ser estático (quando o receptor reutiliza o mesmo QR Code em diferentes transações. Normalmente o estabelecimento imprime código e deixa ao lado do caixa para o cliente escanear e fazer o pagamento) ou dinâmico (modelo que gera um QR Code novo a cada transação).
  2. Chave de endereçamento: por meio da inserção de uma informação cadastral da pessoa que vai receber o dinheiro. Pode ser, por exemplo, o e-mail, número de celular ou CPF. O cruzamento de dados irá informar ao pagador se a transferência ou pagamento está sendo realizado para quem realmente ele deseja.
  3. Redirecionamento em sites de compra: através de links inseridos em sites, por exemplo.

Em que situações o Pix poderá ser utilizado?

O pagamento instantâneo com Pix poderá ser utilizado nas mais diversas situações:

  • Entre pessoas físicas, em transferências rotineiras;
  • Entre pessoa física e estabelecimentos comerciais;
  • Entre estabelecimentos ou entre estabelecimento e fornecedor;
  • Para entes governamentais, no caso de impostos e taxas;
  • Pagamentos de salário e benefícios sociais.

Quais são os benefícios do pagamento instantâneo?

O Pix vai oferecer benefícios para ambos os lados. Ou seja, tanto para quem vai transferir, quanto para quem vai receber o dinheiro. Veja os benefícios:

  • Menor custo comparado as outras modalidades de transferência, como TED e DOC;
  • Acesso 24 horas por dia, 7 dias por semana, incluindo feriados;
  • Disponibiliza o dinheiro de forma imediata, em poucos segundos;
  • Mais velocidade, segurança e praticidade para quem paga;
  • Mais fácil e rápido para quem recebe;
  • Possibilidade de integrar com outros serviços no smartphone;
  • Reduz o uso de cédulas, que são custosas e mais inseguras;
  • Incentivo ao uso de meios de pagamentos eletrônicos;
  • Aumento da inclusão financeira.

O Pix é um aplicativo?

Na verdade não. O Pix é uma plataforma do Banco Central que vai possibilitar os pagamentos instantâneos. Então, os consumidores terão acesso a esse recurso dentro do aplicativo da sua instituição financeira.

Isso significa que, da mesma forma que você abre o app do seu banco para fazer uma transferência ou um TED, será necessário acessá-lo para utilizar o Pix.

Todas as instituições bancárias vão oferecer o Pix?

Segundo o Banco Central, todas as instituições financeiras com mais de 500 mil contas de clientes ativos, devem permitir o pagamento pelo Pix.

Por contas ativas entende-se: contas de depósito à vista, depósito de poupança e contas de pagamento pré-pagas.

As instituições que não atendem a este requisito não são obrigadas por lei a oferecer o Pix. Entretanto, podem participar da plataforma de forma voluntária. Para isso, basta manifestar o interesse para o Banco Central.

Como foi possível perceber, o Banco Central está investindo em um recurso que vai facilitar a vida de pessoas físicas e jurídicas. E todos os principais bancos e instituições financeiras estarão aptos a oferecer o serviço do Pix.

E, ao que tudo indica, pode mesmo marcar o fim de operações como TED, DOC e boleto bancário.

A expectativa é que o sistema comece a operar ainda este nado, com data prevista para 03 de novembro de 2020. Se tudo ocorrer conforme estabelecido previamente, o Banco Central espera que o Pix alcance pleno funcionamento em 16 de novembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo