Terapias à distância crescem durante a pandemia

O ano de 2020 parece influenciar negativamente as nossas emoções. Tanto que Michelle Obama acaba de declarar que está tendo de lidar com o que chamou de uma “depressão leve” em meio à pandemia de Covid-19. E ao que tudo indica, a ex-primeira-dama dos Estados Unidos reflete um sentimento cada vez mais comum nos dias atuais. De acordo com pesquisa recente da Organização Mundial da Saúde (OMS) há países em que já se verifica cerca de três vezes mais notificações de problemas ou distúrbios emocionais em função do medo e ansiedade pelo surgimento do novo coronavírus. E como também há o risco de contágio e disseminação da doença entre paciente e terapeuta, é preciso investir em novas possibilidades de atendimento não presencial. Assim, entram em cena as chamadas terapias alternativas, complementares e integrativas à distância.

Foto: Divulgação

Muitas dessas técnicas e conhecimentos – alguns milenares – partem de uma premissa holística, que encara o ser humano como um todo, nos âmbitos físico, mental, emocional, energético e até espiritual. Assim, elas dão passos além do conhecimento puramente acadêmico e cartesiano. Mas muitas vezes funcionam como um braço da medicina tradicional na manutenção do bem-estar e da qualidade de vida das pessoas. E com uma peculiaridade: não ficam restritas apenas ao binômio sintoma-medicação.

Um exemplo dessas possibilidades terapêuticas é a Cura Interior – Alinhamento Energético à Distância. Cuja proposta é oferecer suporte a pessoas que estejam em sofrimento e sem que seja necessária a presença física durante as consultas ou sessões. “O atendimento acontece num nível acima de nossa compreensão. Por meio da sensibilidade, ou sensitividade, é possível mapear e trazer à tona os conteúdos de dor e os bloqueios emocionais e energéticos do paciente, independentemente de onde ele esteja no globo terrestre. E independem também o gênero, faixa etária ou cunho religioso’, garante Denny Heide, terapeuta do portal Meu Astro (www.meuastro.com.br).

Dois corpos (energéticos) não ocupam o mesmo lugar no espaço

Definida como uma terapia energética, xamânica, sistêmica, fenomenológica e transpessoal, a técnica mescla conceitos de física quântica, filosofia oriental, espiritualidade livre, entre outras vertentes. O objetivo: ler o campo energético do cliente, mapear e transmutar as dores humanas à distância. Nesta abordagem, os conteúdos dolorosos são chamados de corpos energéticos. “Quando eu, como terapeuta, acesso os conteúdos dolorosos de uma pessoa, eu tenho a oportunidade de promover uma remoção daquele conteúdo. Seria como desinstalar essa dor do sistema da pessoa. É tudo à distância, virtual, para usar uma linguagem contemporânea. E enquanto eu canalizo aqui, essa dor deixa de existir lá no paciente, em algum grau para ela”, explica.

As quatro fases do atendimento à distância

De acordo como o profissional, o atendimento é realizado em quatro etapas distintas: “O cliente não precisa detalhar muito quais são suas questões. E a partir daí eu vou ler o campo energético, dizer o que eu estou captando, depois vou trazer os corpos energéticos, conteúdos de dor, trabalhar com eles, conscientizá-los, encaminhá-los para uma dimensão de luz e trazê-los de volta totalmente despolarizados chamados de corpos de luz. Grosso modo falando, é como mandar uma roupa para a lavanderia. Mas é impossível descrever todos os benefícios após uma sessão”, brinca Denny.

Uma equipe de guardiões

Para auxiliar o trabalho de despolarização energética, o terapeuta conta ainda com o auxílio de uma equipe de guardiões extrafísicos. “Não se trata de espíritos ou anjos, propriamente ditos. Acreditamos em frequências específicas que nos ajudam a desprogramar os corpos energéticos. Essas freqüências vibram a partir de uma egrégora chamada Ministério de Cristo, ou dimensão da Consciência Cristica. E detalhe: não têm nenhuma ligação religiosa. Ateus ou agnósticos são sempre bem-vindos”, diz.

Reconexão com a Terra

O profissional, que possui formações e cursos em terapias alternativas, traz ao Brasil também uma nova técnica terapêutica canalizada em pleno voo sobre as Everglades, nos Estados Unidos. “Foi tudo muito intenso. E eu tive a certeza de que algo de muito positivo nasceria daquela viagem. As pessoas estão precisando de mais equilíbrio. E eu não queria que as crenças ou religiosidade fossem impeditivos. Por isso, eu proponho uma espiritualidade livre que pode atender às demandas desde um ateu até um religioso ou esotérico. Não temos mais tempo para separar as pessoas. Foi assim que surgiu Earth Connecions, um mergulho no autoconhecimento a partir de uma espiritualidade prática”, garante.

Auxílio gratuito

Denny percorreu locais considerados sagrados para os nativos norte-americanos no estado da Flórida e intuiu as informações necessárias para dar maior suporte às pessoas durante esse período. “Aproveitei para gravar alguns vídeos em território norte-americano e uma série de podcast chamada Nosso Papo, com mensagens que servem para qualquer pessoa que busca mais equilíbrio. Elas independem de religião, mas são recheadas de espiritualidade, positividade e são gratuitas e estão no site meuastro.com.br”, empolga-se.

Quatro conselhos profissionais antes de tentar uma terapia à distância
1 – Se o problema é físico, ouça um profissional da saúde

“Toda e qualquer terapêutica que extrapole a medicina tradicional precisa ser uma via que corre em paralelo. Então, o primeiro passo é sempre ouvir um profissional da área da saúde. Caso isso já tenha sido feito – ou se o problema não for desta área – é possível partir direto para o autoconhecimento proporcionado pelas terapias alternativas, complementares ou integrativas”, afirma Denny.

2 – Tenha expectativas claras e realistas

“Embora alguns resultados sejam surpreendentes, e trabalhemos com métodos que desafiam a racionalidade, é importante perceber que o termo cura é bem abrangente. Cada atendimento vai focar em uma espécie de benefício específico. É preciso ser totalmente transparente neste momento”, alerta.

3 – Há processos envolvidos

“O ser humano não é automático. Como vivermos em um mundo instantâneo, com tudo a um clique de distância, muitos de nós tem a impressão de que as questões humanas são simplórias e resolvidas em um passe de mágica. Isso não existe. Existe técnica, conceito, trabalho duro e até presenciamos alguns milagres, mas não são a regra. Varinha de condão definitivamente só faz parte dos contos infantis”, ressalta.

4 – Tente outra vez

“À medida que vamos vivendo, tendemos a perder a esperança e a fé em dias melhores. E quando estamos lutando há muito tempo diante de uma questão específica fica fácil duvidar que exista uma solução. Mas é sempre importante persistir. A vida não é linear e as coisas não acontecem com encadeamento natural. Você pode estar a um passo de conquistar algo muito positivo”, diz Denny Heide, do portal Meu Astro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo