Bonito reabre com 7 protocolos de segurança, passeios incríveis e preparados para novo momento

Turista de Mato Grosso do Sul é foco ideal na hora de garantir a sobrevivência de passeios e hotéis diante da pandemia de COVID-19

Bonito reabriu as portas de seus passeios e rede de hotelaria nesta quarta-feira, dia 1º de julho, após mais de 2 meses fechados. O município sobrevive quase inteiramente do turismo nacional, regional e internacional, e foi um dos locais mais estóicos no fechamento logo no começo da pandemia. O resultado é uma reabertura com 7 protocolos de segurança e higiene contra o COVID-19, que nesta quinta-feira (2) já começam a ser aplicados com veemência.

Turismo no município de Bonito (MS) – Fotos: Grupo Rio da Prata

“A importância (da reabertura) é principalmente econômica, dado que a principal fonte de renda do município é o ecoturismo, assim a situação econômica realmente se agravaria muito se não ocorresse a reabertura. Principalmente nos índices de desemprego local, que já aumentaram bastante”, explica a diretora de sustentabilidade do Grupo Rio da Prata, Luiza Coelho.

O Rio da Prata inclui três atrativos: Recanto Ecológico do Rio da Prata, Estância Mimosa e Lagoa Misteriosa. “Os três passeios oferecem ao turista uma experiência de contato com a natureza, com critérios de segurança, conservação ambiental e desenvolvimento sustentável da região”, afirma Luiza. “Na Estância Mimosa a atividade principal é o passeio de trilha e cachoeiras com 9 paradas para banho, diferentes espécies de animais além de uma vasta variedade de árvores. Na Lagoa Misteriosa é possível realizar o passeio de trilha e flutuação e mergulho com cilindro. A visão dos dois abismos azuis que formam o fundo da lagoa é impressionante”. O passeio da Lagoa Misteriosa não está disponível a todo momento durante o ano, o que reforça o interesse dos turistas.

Além disso, segundo a gestora do projeto MS+Bonito e diretora da H2O Ecoturismo, Kassilene Cardadeiro, o novo momento da pandemia trouxe um senso de solidariedade em Bonito. “Hoje, o turista de Mato Grosso do Sul está à frente dos outros turistas, já que para vir à Bonito ele não precisa entrar em um avião. Além disso, a baixa temporada se estenderá até dezembro de 2020, e isso inclui preços para fomentar a economia e também o turismo nesse momento tão atípico”, acredita.

Trabalho coletivo

Os atrativos estão seguindo o protocolo de biossegurança elaborado pela Atratur e aprovado pela Prefeitura de Bonito e o Plano de Contingência, aprovado pela Prefeitura de Jardim, que estabeleceram uso de máscaras, distanciamento social, diminuição de 30% de pessoas por grupo, redução dos horários e higienização intensificada de equipamentos, além da conversão dos restaurantes em serviço a la carte. Isso também impactou no trabalho dos guias, como informa o guia de turismo Maycon Portilho. “A importância dessa reabertura é enorme, manter os empregos, contribuir para o desenvolvimento local, considerando que mais da metade da população mantém seus empregos diretamente ao turismo”, explica.

Ele conta que a Atratur e a Prefeitura de Bonito, se baseando no protocolo de biossegurança do Ministério do Turismo, criaram um plano de atendimento que incluiu a capacitação das equipes, “com amparos legais e equipamentos específicos para garantir higienização de superfícies, equipamentos, e roupas que são utilizadas para a realização das atividades, obrigatório o uso de máscara nas áreas de convivência”, acrescenta.

Por isso, as ações estão sendo intensificadas e as agências estão atuando na divulgação do novo momento para os clientes, para que os agendamentos sejam feitos de acordo com os protocolos, além do turista local ser o maior foco. “Estamos preparados para esse novo momento”, finaliza Maycon.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo