Centro de Hemodiálise equipado com recursos trabalhistas vai atender pacientes da região de Bataguassu

Valor é referente à última parcela do acordo por dano moral coletivo firmado pelo MPT com o frigorífico Marfrig, em decorrência de um acidente que matou quatro trabalhadores e deixou dezenas feridos

Foto: Divulgação

Bataguassu (MS) – Moradores de Bataguassu que precisavam viajar 600 quilômetros, em média, para fazer hemodiálise em municípios vizinhos, agora contarão com o serviço “em casa”. É que o Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul (MPT-MS) e a Justiça do Trabalho destinaram cerca de R$ 1 milhão para equipar o Centro de Hemodiálise Dolores Sanches Dias, que será inaugurado na próxima sexta-feira (24).

A unidade ganhou o nome de uma paciente de Bataguassu que morreu em acidente de trânsito ao voltar de um procedimento de hemodiálise no Município de Três Lagoas. O episódio aconteceu no dia 28 de junho de 2019, na MS-395, quando o veículo da Prefeitura de Bataguassu, que transportava quatro pessoas, sendo duas pacientes de hemodiálise e duas acompanhantes, bateu na traseira de um caminhão. As quatro mulheres morreram no local e os motoristas sobreviveram.

A secretária municipal de Saúde Maria Angélica Benetasso explica que o centro já estava sendo construído quando houve o acidente. “A gente tem essa preocupação com a segurança dos pacientes. Implantamos várias especialidades no município para tirar as pessoas da estrada, para serem atendidas aqui, mas infelizmente não deu tempo. Essa é uma homenagem para ela”, afirma.

Recursos privados

O local foi construído e equipado sem gastar dinheiro público. A obra foi realizada com recurso proveniente de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre o MPT-MS, a Companhia Energética de São Paulo (CESP) e a Prefeitura de Bataguassu. A edificação faz parte das medidas de compensação ambiental pela Usina Hidrelétrica Engenheiro Sérgio Motta – também chamada de Porto Primavera, no rio Paraná, na divisa entre Mato Grosso do Sul e São Paulo.

No entanto, faltavam equipamentos e o mobiliário para atender os pacientes. O pedido de doação ocorreu por meio de um ofício enviado à Vara do Trabalho de Bataguassu. Com o parecer favorável do MPT-MS, o juiz do Trabalho Antônio Arraes Branco Avelino autorizou o repasse de R$ 1.086.276,00 para equipar o serviço de hemodiálise no município. O valor é referente à última parcela do acordo por dano moral coletivo firmado com o Marfrig Global Foods S.A. em decorrência de um acidente que matou quatro trabalhadores e deixou dezenas feridos, no curtume da cidade, em 2012.

Qualidade de vida

O Centro de Hemodiálise Dolores Sanches Dias terá dez máquinas para realização de hemodiálise, sistema de tratamento de água, equipamentos médicos hospitalares e mobiliário para assistir até 60 pacientes de Bataguassu, Santa Rita do Pardo, Anaurilândia e Nova Andradina.

Os pacientes renais desses municípios precisavam viajar três vezes por semana para buscar atendimento em Três Lagoas, Paranaíba ou Presidente Prudente, no Estado de São Paulo. Devido à distância, eles se sentem ainda mais cansados e gastam quase o dia todo em função da diálise, já que só o procedimento de saúde leva em média três horas. Atualmente, 20 pessoas desses quatro municípios se deslocam para receber atendimento. Só Bataguassu, tem nove pacientes de hemodiálise. Com a implantação da clínica, eles poderão diminuir o tempo gasto no trajeto e o cansaço, proporcionando mais qualidade de vida.

Segundo a Prefeitura de Bataguassu, o Centro de Hemodiálise Dolores Sanches Dias terá 549,19 metros quadrados de área construída, compreendidos por recepção, banheiros com acessibilidade, vestiários, arquivo, sala para consultório médico, sala multidisciplinar, copa para paciente, sala de treinamento para diálise peritoneal, sala de emergência, sala para implante de cateter, sala de paramentação, sala de confecção de fístula, almoxarifado, sala de recuperação, rouparia, posto de enfermagem, salas para pacientes (sorologia positiva e negativa), posto de enfermagem, sala para acondicionamento de dialisadores, sala para processamento de dialisadores, entre outros espaços.

Fonte: Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo