Modalidade criada há um ano, airbadminton chega a Mato Grosso do Sul

Airbadminton – Foto: Divulgação/BWF

Mato Grosso do Sul é um dos primeiros Estados do país a praticar o airbadminton, modalidade que utiliza os mesmos elementos e fundamentos do tradicional badminton, mas voltada a ambientes externos. O esporte foi lançado pela Federação Mundial de Badminton (BWF, na sigla em inglês) em maio de 2019, em Guangzhou, na China.

As primeiras petecas (originalmente chamadas de birdies), específicas à prática ao ar livre, chegaram a Três Lagoas-MS na última sexta-feira (26.06), adquiridas pela Associação Três-Lagoense de Esporte Adaptado e Cultura (Ateac). No Brasil, a nova modalidade começou a ganhar praticantes neste ano.

Roney Araújo desenvolve o badminton em Três Lagoas. – Foto: Arquivo Pessoal

Na Associação, quem trabalha com a iniciação do novo equipamento e com a adaptação das regras é o técnico Roney Araujo, que já integrou o quadro de professores de Educação Física do Programa MS Desporto Escolar (Prodesc) – Treinamento Desportivo, da Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte). O profissional também já comandou, em várias oportunidades, atletas nos Jogos Escolares da Juventude (etapas estadual e nacional) e nas Paralimpíadas Escolares, tanto no badminton, quanto no parabadminton.

De acordo com a BWF, o airbadminton foi projetado para ser jogado em superfícies duras (concreto), grama e areia (inclusive saibro) em parques, jardins, ruas, áreas de lazer e praias, a fim de atrair mais adeptos ao redor do mundo. A maior diferença em relação ao badminton está na peteca especial, feita em náilon e que pesa oito gramas, três a mais do que o convencional, permitindo maior resistência ao vento.

Atletas já experimentaram nova modalidade. – Foto: Arquivo Pessoal

“É uma novidade no Brasil e Mato Grosso do Sul sai na frente. Já somos referência nacional pelo trabalho feito com o badminton e poderemos ser com o airbadminton também. Mundialmente, várias competições foram realizadas neste primeiro ano de existência da modalidade. Assim que recebemos a nova peteca, já testamos com os atletas e demos início ao trabalho de fundamentos”, explica Araújo.

Segundo o professor, os treinamentos ao ar livre são feitos obedecendo à risca os protocolos de biossegurança dos órgãos sanitários durante a pandemia de Covid-19, com atividades individualizadas, distanciamento entre os atletas e higienização dos materiais.  “O airbadminton chegou em boa hora para nós, devido à pandemia. Agora, durante este período, podemos focar na nova modalidade, justamente porque ela possibilita treinos em ambientes externos. Mas, mesmo assim, tomamos todos os cuidados necessários”.

Especificidades do airbadminton

O airbadminton utiliza as mesmas raquetes do esporte tradicional. As dimensões de quadra também diferem na modalidade recém-criada, com aumento das medidas de profundidade e estreitamento das faixas laterais.

Além disso, a contagem dos pontos passa por mudanças. No badminton, um set termina em 21 pontos. Já no airbadminton vai de nove a 11. A partida chega ao fim com a disputa na “melhor de cinco” sets.

Quanto ao número de participantes, o airbadminton pode ser jogado em três estilos: simples (um jogador de cada lado), duplas (dois jogadores de cada lado) e trios (três jogadores de cada lado). Todas as regras estão no site oficial da BWF.

No Brasil, a modalidade é referendada pela Confederação Brasileira de Badminton (CBBd). Já em Mato Grosso do Sul, pela Federação Sul-Mato-Grossense de Badminton (FESBd).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo