Volkswagen tira do ar comercial racista e cita nazismo em pedido de desculpas

A fabricante pediu desculpas pela peça publicitária veiculada nas redes sociais

Diversas peças publicitárias do novo Golf foram feitas na Argentina (Foto: Divulgação)

Diversas peças publicitárias do novo Golf foram feitas na Argentina (Foto: Divulgação)

No ano passado, a Volkswagen realizou diversas gravações dos comerciais para o lançamento do novo Golf na Argentina. Com a mensagem “Life happens with a Golf” (“A vida acontece com um Golf”, em tradução livre), o comercial mostra diferentes situações que ocorrem dentro do modelo, como a de um casal recém-casado entrando no carro.

No entanto, na semana passada, a Volkswagen liberou em suas redes sociais um anúncio de apenas dez segundos do Golf, que recebeu diversas críticas por conteúdo racista. No vídeo, um homem negro é puxado da rua para a calçada por uma mão gigante branca. Depois, ele é empurrado até uma porta e para dentro de um estabelecimento.

Muitas pessoas entenderam que o comercial poderia ser simbolicamente racista. De acordo com a televisão alemã, a mão gigante poderia ser interpretada como um gesto de “poder branco“.

Comercial mostra uma mão branca empurrando um negro para fora do cenário (Foto: Reprodução)

Comercial mostra uma mão branca empurrando um negro para fora do cenário (Foto: Reprodução)

Em resposta, Jurgen Stackmann, do conselho de administração da empresa, fez um pedido de desculpas por meio de um comunicado: “Postamos um vídeo publicitário racista no canal da Volkswagen no Instagram. Entendemos a indignação pública com isso. Também estamos horrorizados. Nós temos vergonha disso e não podemos explicar como isso aconteceu”.

Ele ainda relembrou que a marca carrega uma culpa histórica por conta do apoio ao regime nazista na Alemanha, a empresa foi criada para fabricar o Fusca a mando do Reich de Adolf Hitler. “Na Volkswagen, estamos cientes das origens históricas e da culpa de nossa empresa durante o regime nazista. É exatamente por isso que nos opomos firmemente a todas as formas de ódio, calúnia / propaganda e discriminação”, completou. A fabricante garantiu que irá investigar o caso e descobrir como o comercial foi produzido.

Por questões morais e éticas, não publicaremos o comercial nesta matéria. A peça, reproduzida por outros veículos de imprensa, pode ser vista aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo