Covid – 19, o que eu tenho a ver com isso?

Foto: Divulgação

Neste destinado as mães e considerado também mês das noivas, quero me dirigir aquelas que são ” mãe e pai” e que por algum motivo, que não cabe agora discutir, não podem ter o braço amigo, e a inteligência de um parceiro na vida e que as vezes até, substituem essa figura por um avô, um tio, um amigo, mas que nesse momento precisam entender que ficar em casa ainda é o melhor negócio

Mas antes de qualquer coisa, gostaria de dizer que tem perdas, que a gente só ganha. Sei que há pessoas desempregadas, e sem horizontes, que choram abraçadas ao seu filho perguntando a Deus: o que comeremos amanhã? Aproveito para dizer, que se encontrarmos alguém que nos preencha, não digo financeiramente, pois o dinheiro acaba, se mal direcionado, mal aplicado ou mal usado, ou ainda, vindo sem o suor do trabalho, mas digo que se encontrarmos alguém que nos faça ver a nossa própria condição e deseja melhora-la, com o exemplo, com a educação, com a orientação, com a calma, mesmo na distância…esse não podemos deixar ir embora.

Por outro lado, percebo que a minha volta, há mulheres perdendo gradativamente a fé no carinho, no companheirismo, nos políticos, nas ações sociais e nas coisas bonitas. Sim, sabemos que a Covid-19, muitas vezes não nos deixa nem dar o último beijo de adeus. Mas antes de tudo, eu gostaria de falar um detalhe: existe amanhã!

Eu pela primeira vez, vou fazer algo diferente, eu vou dar os parabéns para aquelas mães que, nesse distanciamento social, sofrem de ansiedade, depressão, bipolaridade ou qualquer outro transtorno e conseguiu sair da cama, conseguiu tomar um banho e pisar fora do quarto. Parabéns pra você que tentou mas infelizmente não conseguiu, sei: não é fácil. Parabéns pra você que não teve muita força pra tentar, mas que pensou em tentar. Amanhã será melhor.

Parabéns pra você que está viva, respirando, dando-se uma nova oportunidade a cada dia. Parabéns pra você que enfrenta todos os seus medos, por mais assustadores que sejam. Parabéns pra você que passa por isso tudo com o mínimo de apoio, ou sem apoio algum. Obrigada por não desistir, e quando tiver apoio, valorize-o. Se não tiver não esmoreça. Obrigada por estar lendo isso que escrevi. Obrigada por lutar, por nadar contra a corrente. Você, mulher, mãe, vai superar tudo isso, porque é forte, e eu sei que consegue, busque ajuda e com certeza, você vai ser o exemplo pro seu filho, pra sua amiga, pra sua própria família. Sei que consegue esquecer a ingratidão e não ser ingrata e vai ter orgulho do filho que você criou, justamente pelos exemplos de superação que deu a ele. Deus está do lado da vitória.

Ponha sua máscara, fique atenta aos toques de recolher, não compartilhe “fake news” porque, junho nos espera, mês dos namorados, mês de São João, São Pedro e Santo Antônio. Mês do reinício e isso o que importa acreditar. Vamos pedir aos prefeitos e as gestores, emprego e renda, vamos pedir aos que diuturnamente estão nas barreiras sanitárias e nos hospitais, saúde e discernimento. Vamos pedir aos que já estão em atendimento, sua pronta recuperação. Inclusive, criar um mecanismo de informação para que os entes queridos não precisem se deslocar até a unidade de saúde para saber das melhoras ou pioras. E se prepare, quando tudo isso passar, seremos melhores: melhores irmãs, melhores filhas, melhores namoradas, melhores profissionais, ou simplesmente melhores. O Brasil precisa! O mundo espera!  A vida clama!  O amor chama!

*Graduanda em Educação Física – Anhanguera Pólo Tenir Corumbá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo