Em live com Renan, Luizomar defende união e solidariedade para a retomada do vôlei nacional

Técnico do Osasco Audax/São Cristóvão Saúde cita a necessidade de ações colaborativas entre equipes, meios de comunicação e confederação para manter patrocinadores e a força do esporte após a pandemia do novo coronavírus

Osasco (SP) – Os técnicos Luizomar de Moura e Renan Dal Zotto, dois dos mais vencedores técnicos do Brasil, acreditam que o vôlei nacional precisará de união e solidariedade para ressurgir com a força que a modalidade merece após a pandemia do novo coronavírus. Os treinadores se encontraram virtualmente em uma live transmitida pela página do Time Legado no Youtube, na tarde da sexta-feira (22), quando também debateram outros temas, com destaque também para gestão de projetos e a valorização do trabalho de base.

“Ainda não sabemos como vamos voltar quando a pandemia for controlada, mas certamente precisaremos de união, solidariedade tanto dos meios de comunicação e sensibilidade da Confederação Brasileira de Vôlei no entendimento sobre a necessidade da exposição e espaço para os patrocinadores. Isso porque, se as empresas deixarem de investir no esporte, passaremos por um período de enormes dificuldades, além dos desafios naturais de reorganizar a modalidade após o coronavírus”, defendeu Luizomar, que citou os esforços do Osasco Audax/São Cristóvão Saúde para manter as entregas para os patrocinadores, mesmo sem os jogos.

O técnico Luizomar de Moura (João Pires/Fotojump)

“Com o encerramento precoce da Superliga, os patrocinadores perderam a cereja do bolo, que é a alta exposição nas fases finais do campeonato. O nosso departamento de marketing trabalhou intensamente, buscando alternativas criativas para entreter o torcedor e manter as entregas de exposição para as empresas que nos apoiam. Foram feitas lives com as atletas e com os fãs, treinos online e ações sociais, como a campanha de apoio às doações para ajudar a prefeitura na distribuição de máscaras de proteção. As atletas também entenderam a necessidade de se doar um pouco mais e colaboraram. Tudo isso foi importante e, acredito, mantém a característica de Osasco de estar na vanguarda e ser um case de sucesso em termos de marketing”, completou Luizomar.

Renan seguiu a mesma linha. “Acredito que todo mundo vai se unir e colocar o vôlei em um grande guarda chuva. Teremos que nos reinventar e trabalhar juntos, porque, sem o apoio dos patrocinadores e grandes empresas, será o caos”, afirmou. “Sabemos que, no mundo pós-COVID-19, cada um de nos terá que fazer um pouco mais. Acredito que o esporte será, além de entretenimento, exemplo em termos de saúde, prevenção e qualidade de vida”, completou Luizomar.

Na conversa entre os treinadores, a importância da base e a gestão de projetos mereceram destaque. “A saída para o esporte, tanto em termos de massificação como promoção de saúde, é a escola”, disse Renan, acompanhado por Luizomar. “Eu comecei a jogar vôlei incentivado pelo professor de educação física, em São Caetano do Sul, e o profissional da base é muito importante e precisa ser valorizado”, afirmou, lembrando também dos 15 anos de serviços prestado às seleções brasileiras de base, com títulos sul-americanos e mundiais conquistados. “Muitas atletas passaram por minhas mãos e sei o valor de trabalhos como o que é feito em Osasco pelo Bradesco, por exemplo. E também o quanto a vontade das atletas em aprender e crescer faz toda a diferença nessa fase da vida”, explica Luizomar.

Sobre gestão, a longevidade e o sucesso de Osasco entrou na pauta da conversa. “O vôlei me deu a oportunidade de conversar com pessoas que eu nem imaginava, de gestores públicos a grandes empresários. Tanto para um como para outro, é preciso mostrar que ninguém pode prometer vitórias, mas, sim, engajamento da comunidade, oportunidades para a melhora da qualidade de vida e autoestima da população, que passa a assistir grandes jogos e ver ídolos de perto, além da divulgação de políticas públicas para promoção de um estilo de vida saudável, especialmente para a juventude, e, claro, exposição de marca. Tudo isso a gente aprende ao longo dos anos e estamos sempre à disposição para compartilhar informações e ajudar, o que, inclusive, já fazemos em cursos em Osasco”, completa o treinador osasquense.

Carreira vitoriosa da base à elite – Luizomar conquistou sua primeira Superliga logo na estreia como treinador. Comandando o Flamengo, fez 3 a 1 em uma série melhor de cinco jogos contra o Vasco, 19 anos atrás, dia 18 de abril de 2001 (temporada 2000/2001).

A conquista em 2000/01 abriu as portas para Luizomar construir uma carreira vitoriosa no vôlei. São três conquistas de Superliga – sendo duas pelo time de Osasco (2009/10 e 2011/12) -, um mundial de clubes na temporada 2012/13, três Copa Brasil, quatro sul-americanos de clubes, oito campeonatos paulistas.

Pelas seleções de base do Brasil, é tricampeão mundial. O que nem todos sabem, é que o técnico também é responsável pelo garimpo de atletas que são a esperança de medalha na Olimpíada de Tóquio, no Japão, em 2021, como Tandara e Natália.

Luizomar comandou as seleções de base do Brasil de 2003 a 2016. Nesse período conquistou um recorde e até hoje é o único treinador campeão mundial em todas as categorias. Ganhou os títulos do Mundial Infanto Juvenil, de 2005, na China; do Mundial Juvenil, de 2007, na Tailândia; do Mundial Infanto Juvenil, em 2009, também na Tailândia; e o Mundial de Clubes, em 2012, no Qatar. Também foi hexacampeonato sul-americano pelas seleções de base (2004, 2006, 2008, 2010, 2012, 2014).

Mais informações:

Osasco Vôlei TV: https://osascovoleitv.tvnsports.com.br/

Fan page: https://www.facebook.com/osascovoleibolclube/

Instagram: www.instagram.com/osascovoleibolclube/

Twitter: www.twitter.com/osascovc

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo