Empresas estimulam a geração de renda para costureiras de Corumbá (MS)

Em uma ação de prevenção ao Covid-19, costureiras do IMNegra produzem máscaras de tecido que são distribuídas para a comunidade

Corumbá (MS) – O Instituto da Mulher Negra do Pantanal (IMNegra), de Corumbá (MS) – entidade que representa mulheres negras, e de outras etnias, em situação de vulnerabilidade racial e social – colocou as máquinas de costura para produzir a todo o vapor, nos últimos 30 dias. Mulheres que participaram de cursos de corte e costura do Instituto confeccionam máscaras de tecido que estão sendo doadas para a população se prevenir contra o novo coronavírus.

A ação solidária foi desencadeada pela Votorantim Cimentos, que firmou parceria com o Instituto e adquiriu os insumos para viabilizar a confecção das peças. O trabalho chamou a atenção de outras empresas e órgãos públicos, que apoiaram a iniciativa e também forneceram materiais para a produção das máscaras.

Máscaras de tecido são doadas a comunidade de Corumba – Foto: Divulgação

Na primeira remessa encomendada pela Votorantim Cimentos, foram produzidas 960 máscaras. A empresa fez uma nova encomenda, dessa vez aproximadamente 1950 peças. Do total produzido, 70% são entregues para empregados e suas famílias, além de pessoas com doenças crônicas, idosos e comunidades de baixa renda, que foram identificadas por meio de levantamento realizado junto ao grupo de líderes comunitários, em parceria com entidades de atendimento locais.

Solidariedade e geração de renda

Com a maior demanda de produção, o IMNegra passou a contar com 11 costureiras, que confeccionam as máscaras de forma voluntária. Antes da iniciativa impulsionada pela Votorantim Cimentos, quatro mulheres davam conta da produção.

Para evitar os riscos de contágio, algumas voluntárias confeccionam as peças em casa. Outras vão para a sede do Instituto e trabalham de acordo com as recomendações dos órgãos de saúde, inclusive no que se refere às especificações de produção. As máscaras são feitas com tecido de tricoline em duas camadas, com medidas que cobrem totalmente a boca e o nariz.

A presidente do IMNegra, Ednir de Paulo explica que desde que as empresas passaram a encomendar as máscaras, as costureiras ganharam uma nova perspectiva de geração de renda, já que 30% das encomendas recebidas são destinadas pelo Instituto para comercialização local, com preço acessível, e o valor obtido com a venda é distribuído entre o Instituto e as voluntárias.

“Corumbá possui mais de 70% de sua população com origem afrodescendente e três comunidades quilombolas. O Instituto trabalha para proporcionar mais dignidade a essa parcela da população e a procura das empresas para produção de máscaras de tecido enaltece o nosso trabalho e isso é muito gratificante para todas nós”, ressalta Ednir.

A gerente de fábrica da Votorantim Cimentos de Corumbá, Adriana Celestino, ressalta que a iniciativa reforça o relacionamento da empresa com a comunidade e a valorização da diversidade. “O incentivo ao trabalho da IMNegra contribui para o empoderamento e desenvolvimento socioeconômico dessas mulheres. A Votorantim Cimentos, atenta às necessidades das comunidades em que está inserida, apoia projetos que têm como foco o fortalecimento do capital humano, social e institucional das localidades em que estamos. Entender as necessidades e, sempre que possível, contribuir para promover a qualidade de vida, é um dos nossos propósitos como empresa”, destacou a gerente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo